Final da Libertadores não terá venda de ingressos, mas receberá 5 mil pessoas

A Conmebol reforçou os detalhes do duelo entre Palmeiras e Santos na última sexta-feira

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 23 (AFI) - A Conmebol reforçou na noite desta sexta-feira que não haverá venda de ingressos para a final da Copa Libertadores da América, a ser disputada no próximo sábado, às 17h, no estádio do Maracanã, entre Palmeiras e Santos.

A entidade, no entanto, informou que o Maracanã deverá receber cerca de 5 mil pessoas, incluindo jogadores, comissão técnica, arbitragem, jornalistas, funcionários e convidados. Ela ainda lembrou que o número de pessoas está abaixo do que foi liberado pelo Governo do Rio de Janeiro no último decreto do governador Cláudio Castro.

Confira a nota oficial da Conmebol:

O governo do estado do Rio de Janeiro emitiu um decreto autorizando a presença de pessoas na final única da CONMEBOL Libertadores sob estrito cumprimento com os protocolos de saúde. O documento, assinado pelo governador Cláudio Castro, esclarece que não se trata de uma questão do público em geral, mas exclusivamente de pessoas credenciadas pela entidade organizadora do jogo. Assim, não há ingressos à venda para pessoas que não possuem as credenciais emitidas pela CONMEBOL. O acesso ao estádio será bloqueado para aqueles sem o credenciamento da CONMEBOL.

Maracanã será o palco da final da Libertadores
Maracanã será o palco da final da Libertadores
A CONMEBOL estima que o número final de pessoas será de cerca de 5.000, incluindo jogadores, árbitros, técnicos, assistentes e dirigentes dos clubes finalistas. Este número também inclui todo o pessoal operacional da CONMEBOL, pessoal de segurança e aqueles envolvidos no protocolo de saúde, funcionários do Maracanã e todos os empregados e técnicos envolvidos na transmissão televisiva, bem como jornalistas e repórteres autorizados.

Além disso, há pessoas credenciadas pelas empresas patrocinadoras do torneio sob acordos contratuais com a CONMEBOL, autoridades da cidade, estado ou país, funcionários da CONMEBOL e um número limitado de convidados dos clubes finalistas (principalmente famílias dos jogadores e treinadores).

O protocolo sanitário da CONMEBOL estabelece que cada pessoa deve ter um teste de detecção do vírus negativo. O decreto do estado do Rio de Janeiro segue a mesma linha, com o uso obrigatório de máscaras, a verificação da temperatura corporal na entrada do estádio e o distanciamento dos espectadores.

Tanto a CONMEBOL Sul-Americana quanto a CONMEBOL Libertadores foram suspensas assim que a pandemia COVID 19 começou. A partir daquele momento, foi iniciado um árduo trabalho para trazer de volta à América do Sul a paixão e as emoções que só o futebol pode gerar. Um painel de especialistas elaborou um protocolo que foi apresentado e aprovado pelos governos dos 10 países membros da CONMEBOL. Isto tornou possível o retorno das competições internacionais, sem alterar o formato e colocando a saúde da família do futebol sul-americano em primeiro lugar. Os protocolos funcionaram como esperado. Prova disso é a baixíssima porcentagem de infecções em ambos os torneios.

SEGUEM OS PONTOS...
Cerca de 5.000 pessoas farão parte do encontro, desde jogadores até jornalistas, passando pelo pessoal operativo, de segurança, funcionários do estádio e técnicos para a transmissão. Todas estarão acreditadas pela CONMEBOL.

O estado do Rio de Janeiro autorizou a presença de pessoas em um número levemente superior ao habitual no torneio local. O decreto esclarece que não se trata de público em geral, razão pela qual não existem entradas à venda.