A emoção do acesso da equipe mooquense no Campeonato Paulista A3 de 2015

Relembre destalhes marcantes do último grande feito do Moleque Travesso no cenário estadual

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 06 (AFI) - Aquele time era simplesmente um esquadrão. O primeiro semestre de 2015 foi mágico para o time do bairro da Mooca, Zona Leste de São Paulo. O Juventus havia conquistado o acesso para a Série A2 do Campeonato Paulista. Em um campeonato equilibrado o Moleque Travesso conseguiu o primeiro lugar na primeira fase do torneio. Com estrelas renomadas a equipe fez partidas de dar brilho nos olhos de seus torcedores. O time liderado por Gil, atacante ex-Corinthians, ainda contava com o goleiro André Dias, que já era considerado ídolo por parte da torcida. Adiel, ex-Santos, Derli, Rafael Ferro, Daniel Costa, Lucas Pavone e Nathan completavam a espinha dorsal daquela equipe que se tornaria a última a dar uma alegria marcante aos torcedores.

Já no primeiro jogo aquele time dava pinta que algo muito bom estaria por vir. Em um domingo de manhã a equipe fez valer o mando de campo e sob os olhares de 1.500 torcedores goleou a equipe do Grêmio Osasco por 3x0. Com Nathan pelos lados e Daniel Costa sendo o homem da finalização a equipe garantiu os primeiros três pontos e já ocupou a primeira colocação do torneio. O segundo jogo, em Barueri, demonstrou uma força como visitante que não era vista há muito tempo. A equipe grená virou o jogo diante do Grêmio Barueri e se isolou na liderança da competição. Um dos gols juventinos foi marcado por Raikard, que era apresentado aos torcedores como um “herói improvável”.

Jogo após jogo a equipe se impunha e garantia a primeira posição de forma tranquila. Em uma campanha de 12 vitórias, 3 empates e somente 4 derrotas o Juventus acumulou 39 pontos, obteve o melhor ataque da competição e também a melhor defesa.

A campanha foi marcada por jogos que ficarão para sempre na memória do torcedor, estando ele na arquibancada ou então acompanhando o jogo pela Web Rádio Mooca, rádio que transmite somente jogos do Juventus, sendo eles em seus domínios ou não.

JOGOS MARCANTES DO ACESSO JUVENTINO:

- Juventus 1x0 Itapirense: um dilúvio caiu na Rua Javari. Apenas 462 torcedores estavam presentes no estádio naquela quarta feira. Somente as torcidas organizadas do time se posicionaram atrás dos dois gols. O campo estava castigado. O jogo, quase um polo aquático. Até que aos 47 minutos do segundo tempo o Juventus sofreu um pênalti, muitíssimo contestado pela equipe de Itapira. Um site, ojuve.com.br, que também só transmite jogos da equipe juventina, narrou a marcação do pênalti da seguinte forma: “Time do Itapirense tenta bater no árbitro e em cena inédita o juiz corre para se proteger dentro do vestiário juventino”. A confusão acabou e aos 52 minutos do segundo tempo Abraão converteu a cobrança e decretou a vitória para a equipe da Mooca.

-JUVENTUS 4X0 FRANCANA: Enquanto o Juventus sobrava no campeonato a equipe de Franca amargava a zona de rebaixamento. Em um jogo de vida ou morte Gil foi o carrasco da equipe do interior paulista. O ex-corinthiano marcou os 4 gols da vitória do clube da capital, selou a vaga do Juventus na segunda fase e o rebaixamento da equipe Francana. Não foram só os 4 gols, Gil trucidou o adversário e, ao final da partida garantiu 80 esfihas, prêmio dado ao melhor jogador em campo. Neste jogo o narrador Raoni Pacheco narrou da seguinte forma um dos gols do craque juventino:“Gil toma distância. A arbitragem vai autorizar. Gil contra o goleirão Pedro. Autorizou o árbitro, partiu Gil, pé esquerdo... Gol! É de Gil para o Moleque Travesso! Parem as máquinas que ele quer passar! Quatro para o Moleque Travesso! Agora vale mais que tudo! Quatro gols de Gil! Zero para a Francana na Javari. ”

-FLAMENGO 1x5 JUVENTUS: O Juventus nunca havia ganho do time de Guarulhos no Ninho do Corvo, apelido do estádio rival, mas aquele dia tudo acabaria diferente. O Juventus dominou o jogo de ponta a ponta, fez 5 gols e acabou tomando um por desatenção. O tabu havia acabado e o clube mooquense confirmava cada vez mais o favoritismo no campeonato.

-JUVENTUS 4X0 INTER DE LIMEIRA: O primeiro jogo da segunda fase do torneio seria disputado com o mando juventino. As previsões seriam de um jogo truncado e difícil, porém o moleque travesso aplicou mais uma de suas artimanhas e ao fim do primeiro tempo já havia aberto uma vantagem de 3 gols no placar. Mais uma vez Gil havia brilhado. Com um gol e uma assistência garantiu a primeira vitória do Juve na fase final do campeonato.

-JUVENTUS 5X1 VOTUPORANGUENSE: Os líderes do grupo iriam se enfrentar pelo segundo, e decisivo turno. A vitória juventina foi uma certeza de que a equipe mooquense iria subir de divisão e mais uma vez estar entre os maiores clubes paulistas. Foram 5 gols de 5 jogadores diferentes, o que mostrava uma qualidade e uma união enorme no grupo.

-JUVENTUS 4X1 GRÊMIO OSASCO: A última aparição juventina no campeonato seria justamente diante de sua torcida. Uma cena nunca vista nos portões da Javari se fazia presente. Uma enorme faixa diante da bilheteria mostrava os dizeres: INGRESSOS ESGOTADOS! O jogo do acesso seria diante de 4.000 pessoas. O acesso veio com uma goleada fácil e finalizada com um hat-trick de Daniel Costa, artilheiro da equipe na competição. Gil brilhou mais uma vez e ao fim do jogo deu mais uma alegria para os mooquenses. Invasão de campo dessa vez para comemorar um dos maiores feitos do Juventus desde 2010.

Mesmo com o acesso a equipe da Mooca não conseguiu ir à final do campeonato. O Votuporanguense havia feito melhor campanha na fase final e foi decidir o título com o Taubaté. No primeiro jogo, em Votuporanga, a equipe mandante se impôs e aplicou sonoros 3x0, deixando a conquista praticamente encaminhada. Porém, na volta, o Taubaté conseguiu uma virada histórica, venceu por 4x0 e levantou a taça daquele ano.

 
 
" />