Deco, acesso, suspensão proposital e permanência. Confira entrevista de técnico do Ju !

Marquinhos Santos deu coletiva de imprensa após a vitória do clube gaúcho por 4 a 0 contra Imperatriz

por Agência Futebol Interior

Caxias do Sul, RS, 09 (AFI) - Marquinhos Santos levantou uma polêmica durante a coletiva de imprensa, após o Juventude conquistar o acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, ao derrotar o Imperatriz por 4 a 0, no Alfredo Jaconi.

O treinador revelou que provocou um cartão amarelo, que o tirou da partida diante do Ypiranga, a última da primeira fase, a pedido do presidente do clube, para não correr risco de ficar suspenso nas quartas de final. Fato que pode gerar punição futura.

O técnico falou também dos objetivos conquistados pelo Juventude, não confirmou sua permanência para 2020 e lamentou o fato de ter deixado o Fortaleza em 2016. Marquinhos Santos ainda revelou uma ligação do ex-jogador Deco.

Juventude deitou e rolou sobre o Imperatriz
Juventude deitou e rolou sobre o Imperatriz

Confira os principais pontos da entrevista coletiva de Marquinhos Santos:

AGRADECIMENTO

"Agradecer a Deus, primeiramente. A oportunidade que me deu por ter me colocado aqui. Agradecer minha família. Sou um cara chato pra caramba. Não é fácil abdicar da família por um trabalho. Tínhamos a convicção de que poderíamos realizar um grande projeto. Todos (diretoria) deram força. Conquistamos o sonho de voltar para a Série B."

IMPERATRIZ

"Quero parabenizar o Imperatriz. Uma equipe guerreira. Kobayashi, eu sentava na arquibancada da Vila e eu o via jogando. Era um espelho. E hoje tenho o prazer de enfrentá-lo como treinador. Ganhamos, mas o Imperatriz não deu um pontapé.

Quero parabenizar ele, diretoria, jogadores. Agradecer os torcedores de lá, pois nos receberam muito bem. Quero pedir desculpa pelo foguetório. Nós pedimos para a nossa torcida, insistentemente, para não fazer isso."

Marquinhos Santos, técnico do Juventude - Vitor Monteiro/Sagres On
Marquinhos Santos, técnico do Juventude

PREMIAÇÃO

"Premiações em dias. Salários em dias. Tivemos que fazer o caminho ao contrário. Tudo aconteceu após a saída da Copa do Brasil. A Série C era mais importante. Por isso falo que os sócios são importantes. Eles ajudam na receita do clube."

JOGO E OBJETIVOS

"Começou a ser construído quando perdemos para o Ypiranga. Senti demais aquela derrota, muito por não estar presente, cumprindo suspensão.

Meio adverso, cumpri ordens de tomar o cartão, a pedido do presidente. Eles estavam com medo de eu não estar na semifinal. Sabíamos que o jogo no Maranhão seria muito difícil.

Garra e torcida empurraram o Juventude
Garra e torcida empurraram o Juventude
O mínimo de vantagem era decidir em casa. O torcedor ia dar a resposta. Quando chegamos na esquina, o ônibus não conseguia passar, sentimos a emoção na pele.

Estiquei a linha mental dos jogadores. Funcionou todo o trabalho. Definimos em 18 minutos. Todos estão de parabéns. Precisamos e vamos precisar. O campeonato não terminou. O primeiro objetivo foi a classificação, o segundo a Série B.

Agora vamos enfrentar uma grande equipe, com um grande comandante, o Dal Pozzo. As quatro equipes que mereceram avançaram. O Paysandu também merecia. Não vou descansar. Quero buscar o título da Série B."

PERMANÊNCIA

"Objetivo não era financeiro. Eu ganho mais do que preciso e menos do que mereço, por tudo que eu dedico. Vamos sentar para conversar, mas meu foco é o Juventude, com toda a certeza. Minha continuidade depende dessa diretoria. Se eles não ficarem, eu também não continuo."

REGULARIDADE

"Sabíamos que estávamos devendo. Caímos de rendimento. Fomos a equipe mais regular da competição. Devíamos isso para nós mesmos e para os torcedores. Tínhamos que respeitar o Imperatriz. Respeito é fazendo o gol, não menosprezar o adversário. Hoje encaixou todo conceito trabalhado ao longo de cinco, seis meses aqui".

REBAIXOU O JUVENTUDE EM 2018

"Não rebaixei o Juventude. Defendia o profissionalismo no São Bento. Passando aquela rodada, faltariam quatro. Estávamos naquele bolo. Quem saísse derrotado, poderia ter o descenso. Sabíamos que o torcedor se virava contra a equipe.

E soubemos trabalhar muito bem taticamente. Lembro que falei pro Francis decidir, assim como disse para o Cajá. Tive três títulos estaduais, cheguei a liderar a Série A por vários jogos. Mas devia isso pra mim.

Desde que deixei o Fortaleza em 2016, por coisas as quais não concordava, pelejei por três anos. Não consegui terminar aquele trabalho pelo Fortaleza, mas terminei com o Juventude. Muito feliz em colocar o clube na Série B."

LIGAÇÃO DE DECO

"No meio do jogo, o Deco, da seleção portuguesa, ligando toda hora para saber o resultado do Juventude, quem estava ganhando. Só para ter uma noção da dimensão da partida."