No centenário do Paulistão, Ituano comemorava seu primeiro título na elite

Equipe de Itu festejou o título paulista há 18 anos em decisão emocionante na última rodada

por Federação Paulista (FPF)

Campinas, SP, 12 (AFI) - No centenário do Campeonato Paulista coube aos clubes do interior -alicerce do futebol de São Paulo- a responsabilidade de manter a chama acesa. Com muita emoção, o Ituano de revelações importantes, superou outras 11 equipes no sistema de pontos corridos para ficar com a taça do Paulistão 2002, seu primeiro título da elite estadual.

Com a ampliação do Torneio Rio-SP, o Campeonato Paulista foi esvaziado justamente no ano de seu centenário. Corinthians, Palmeiras, Santos, São Paulo, Etti Jundiaí, Guarani, São Caetano, Ponte Preta e Portuguesa se dedicaram à disputa do campeonato regional. Desta maneira, o Paulistão teve 12 equipes disputando o título em pontos corridos em dois turnos.

Campeão apenas na última rodada, o Ituano somou 40 pontos em 22 jogos, com 11 vitórias, sete empates e quatro derrotas. O terceiro melhor ataque da competição marcou 37 gols e a segunda melhor defesa sofreu 26. Com oito gols, Fernando Gaúcho foi o artilheiro da equipe, enquanto o goleiro André Luís e o lateral esquerdo Lúcio foram os que mais atuaram, já que estiveram em todas as 22 partidas.

No centenário do Paulistão, Ituano comemorava seu primeiro título na elite
No centenário do Paulistão, Ituano comemorava seu primeiro título na elite
A CAMPANHA
Sem perder nas primeiras sete rodadas -três vitórias e quatro empates- o Ituano do técnico Ruy Scarpino se colocava entre os primeiros na arrancada inicial. Apenas dois pontos o separavam do líder Juventus. Ao final do primeiro turno, porém, o time de Itu era o quarto colocado, quatro pontos atrás do Santo André, líder com 23 pontos.

Após duas vitórias no início do returno, três empates seguidos foi o suficiente para a demissão de Ruy Scarpino do comando da equipe. Ao término da 16ª rodada, apenas dois pontos separavam o Ituano do União São João, agora o primeiro colocado com 30 pontos. Ademir Fonseca foi o escolhido para comandar a equipe na reta final da disputa que seria contra o time de Araras até os últimos minutos do campeonato.

A derrota na estreia do novo treinador foi acompanhada de sorte pelos demais resultados da rodada, o que permitiu que com a vitória na rodada seguinte o time de Itu assumisse a liderança do campeonato pela primeira vez em 18 rodadas. Com 31 pontos, o Ituano era perseguido de perto pelo União São João (30 pontos), Rio Branco, Juventus e Mogi Mirim, com 28.

Outras duas vitórias e o galo de Itu chegava à penúltima rodada com 37 pontos contra 33 do time de Araras, seu adversário no estádio Novelli Júnior. Para não depender de ninguém, bastante a vitória aos donos da casa para ficar com a taça. A festa na cidade já estava montada pelo patrocinador do clube quando Valdo marcou para os visitantes aos 43 minutos do primeiro tempo decretando a vitória do time de Araras que ainda disputaria o título na última rodada.

QUATRO TIMES POR UMA TAÇA
Além do Ituano e do União São João, com 37 e 36 pontos, respectivamente, Rio Branco e Juventus com 34, também foram para a última rodada podendo sonhar. Assim, no domingo, 12 de maio, quando todos entraram em campo, o Ituano era o campeão. Precisando descontar grande diferença de gols, o Juventus se assanhou ao abrir o placar contra a Inter de Limeira, na Javari. Mas viu o rival virar ainda no primeiro tempo e praticamente acabar com suas chances.

Nos outros jogos pela taça, nada de gols no primeiro tempo. Genílson e Alberto marcaram para o Rio Branco logo no início do segundo tempo e o time de Americana precisava de derrotas dos dois líderes para ficar com a taça. No entanto, Mauro marcou para o time de Araras que chegava a 39 pontos, contra 38 do Ituano.

A taça estava a caminho de Araras até os 40 minutos do segundo tempo. Foi quando em São José do Rio Preto Silvinho marcou o gol que deu o título ao Ituano com a vitória por 1 a 0 sobre o América.

REVELAÇÕES
Daquele time, muitos trilharam caminhos de sucesso em times grandes e até Seleção Brasileira, caso do volante Richarlyson, multicampeão pelo São Paulo e que chegou a ser convocado. Lúcio e Pierre se destacaram mais tarde no Palmeiras, além de boas passagens por Grêmio e Atlético Mineiro, respectivamente. Basílio, que já havia passado pelo clube do Palestra Itália, seria campeão brasileiro com o Santos dois anos mais tarde. Zagueiro que mais vezes atuou na conquista, Vincius Bergantim fez carreira na Alemanha, fez parte da comissão técnica no título do Ituano de 2014 e atualmente é o treinador da equipe.

FICHA TÉCNICA
Ituano 1x0 América

Data: 12 de maio de 2002;
Local: Estádio Benedito Teixeira, em São José do Rio Preto;
Árbitro: Romildo Correia;
Gols: Silvinho 40’ do 2ºT;

Ituano: André Luis; Giuliano, Vinicius, Erivelton e Lucio; Everaldo, Richarlyson (André Bocão), Elson e Tita (Silvinho); Basílio e Fernando Gaúcho (Lelo).
Técnico: Ademir Fonseca.

América: Edney; Gilson, Claudio, Carlão e Guilherme; Perivaldo, Batata, Almir e Toninho (Barole); Reinaldo (Benê) e Paulinho Bonfim (Jales).
Técnico: Marcio Rossini.

Por Raoni David, especial para FPF