Paulista A3: Após garantir sétimo acesso, João Vallim que o título com a Internacional

Novo "Rei do Acesso" no Interior de São Paulo acha que ser campeão é carimbar seu nome na história de um grande clube

por Agência Futebol Interior

Limeira, SP, 19 (AFI)- João Vallim é, com certeza, o novo “Rei do Acesso” do Interior de São Paulo. O sucesso à frente da Internacional de Limeira, nesta temporada, subindo da Série A3 para a Série A2 é seu sétimo acesso. Escreve seu nome no hall dos melhores do Interior ao lado de nomes como Luiz Carlos Ferreira, Luis Carlos Martins e Vágner Benazzi.

Este é o quinto clube que leva ao aceso no Interior. E o técnico não tem vergonha de dizer que “comei lá embaixo”. Em 2002 levou o Itararé da antiga Série B3 para a Série B2. Era o início de tudo, num clube pequeno e distante do círculo mais visto no Estado.

“Tudo na vida tem um começo e a gente precisa ir aprendendo. Então comecei num clube pequeno e tenho até hoje coisa na minha cabeça que aprendi lá” – lembra João Vallim.

João Vallim se aprimorou ao longo dos anos e coleciona sete acessos no Interior
João Vallim se aprimorou ao longo dos anos e coleciona sete acessos no Interior

ACESSOS NO INTERIOR
Em 2006 ele deu prosseguimento ao trabalho desenvolvido no Itararé e o colocou, pela primeira vez, na série A3. Um grande feito. Um ano depois disso, em 2007, ele tirou o Taboão da Serra do anonimato e garantiu o acesso para a Segunda Divisão, que equivale ainda à quarta divisão.

Em 2007, agora no Taboão da Serra, ele conquistou o acesso para a Segundona (quarta divisão). E, após dois anos, em 2009, o treinador comandava o Taubaté, quando o clube chegou à A3 do Paulista.

Vallim faz parte do renascimento da Inter de Limeira
Vallim faz parte do renascimento da Inter de Limeira

O melhor ainda estava por vir com o Velo Clube. Na temporada de 2010 ele tirou o time de rio Claro da Segundona e o colocou na Série A3 e em 2001 o levou à Série A2.

PELO TÍTULO
Depois de garantir o acesso pela Internacional para a Série A2, Vallim sonha com o título. Para tanto terá pela frente o Nacional, de São Paulo. O primeiro jogo acontece neste sábado, ás 10h30, no estádio Nicolau Alayon, na Barra Funda, e o segundo dia 27, dentro do Limeirão.

A Inter é dona da melhor campanha, mas só tem vantagem de fazer o segundo jogo em casa. Para ser campeão precisa somar mais pontos nos dois jogos ou ter melhor saldo de gols. Se houver igualdade nos dois critérios, o título será decidido na cobrança de pênaltis.

“Garantir o acesso é importante,mas carimbar o título é fazer uma história. O título sempre fica marcado para todos no clube. E tenho a honra de dizer que subi com a tradicional Internacional de Limeira” – concluiu Vallim.

aaa