Nova derrota para o Grêmio causa a queda de cinco dirigentes no Internacional

O presidente Marcelo Medeiros, em pronunciamento à imprensa, afirmou que a decisão partiu da assinatura de um documento de aliança

por Agência Estado

Porto Alegre, RS, 25 - O técnico Eduardo Coudet sobreviveu a mais uma derrota para o Grêmio no ano, mas cinco dirigentes do Internacional foram demitidos nesta sexta-feira, véspera do jogo contra o São Paulo, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Caíram: o vice-presidente de futebol, Alessandro Barcellos; o 4º vice eleito Humberto Busnello, vice de administração Victor Grunberg, o vice de marketing Nelson Pires, e o assessor da presidência Flávio Ordoque.

O presidente Marcelo Medeiros, em pronunciamento à imprensa, afirmou que a decisão partiu da assinatura de um documento de aliança entre Academia Colorada, Convergência Colorada e Inove Inter para as eleições do clube em 2020. Após reunião do Conselho de Gestão, ficou decidido que os dirigentes deveriam deixar os cargos à disposição.

Alessandro Barcellos não faz mais parte da diretoria colorada
Alessandro Barcellos não faz mais parte da diretoria colorada
DETALHES!
Barcellos, Nelson Pires e Flávio Ordoque são integrantes do Academia Colorada, movimento recém-criado e que se coligou com o Convergência Colorada (de Victor Grunberg) e com o Inove Inter, de oposição. As saídas foram definidas ao longo do dia, em uma série de reuniões de Marcelo Medeiros com cada um deles. Todas elas, individuais.

"Na reunião de hoje (sexta-feira) pela manhã, todos os membros do conselho de gestão desconheciam este documento. O presidente e os integrantes entenderam que o signatário do dito documento deveriam colocar seus cargos à disposição. O Conselho de Gestão tomou esta decisão para fazer uma blindagem para que os profissionais, comissão técnica e o pessoal do apoio ficassem fora do ambiente político", disse Marcelo Medeiros.

Como vice-presidente de futebol, Barcello ficou menos de um ano no cargo. Ele assumiu em 13 de dezembro de 2019, substituindo Roberto Melo. O presidente toma conta do futebol e terá a ajuda do executivo Rodrigo Caetano.