Inglês terá pausa de inverno de duas semanas a partir de 2019/2020

Associação de Futebol da Inglaterra anunciou que entrou em acordo com a Premier League e com a Associação Inglesa de Clubes

por Agência Estado

Campinas, SP, 08 - A Associação de Futebol da Inglaterra (FA) anunciou oficialmente nesta sexta-feira que entrou em acordo com a Premier League e com a Associação Inglesa de Clubes para inserir uma pausa de inverno de duas semanas no calendário do Campeonato Inglês a partir da temporada 2019/2020.

As entidades anunciaram em conjunto, por meio de um comunicado oficial, que esta parada ocorrerá no mês de fevereiro, sendo que a mesma será implementada de uma forma a permitir que todas as partidas sigam sendo realizadas em todos os finais de semana neste período.

Inglês terá pausa de inverno de duas semanas a partir de 2019/2020
Inglês terá pausa de inverno de duas semanas a partir de 2019/2020
Na principal competição do país, serão cinco jogos em um final de semana e mais cinco em um próximo.

Para tornar isso possível, a FA concordou em mover as partidas da quinta fase da Copa da Inglaterra para o meio de semana, sendo que tradicionalmente estes duelos ocorrem aos sábados e domingos.

Além disso, os chamados "replays" (jogos extras em caso de empates no tempo normal em confrontos das equipes) serão substituídos por prorrogações e pênaltis para definir os classificados ao estágio seguinte do torneio.

Antes do anúncio desta sexta-feira, a FA havia confirmado, em janeiro passado, que iria mais do que dobrar a premiação da Copa da Inglaterra a partir da temporada 2018/2019, tornando assim ainda mais atrativa para os clubes esta que é a mais antiga competição doméstica da história do futebol.

A introdução desta pausa de inverno também fará o calendário do Campeonato Inglês ficar mais alinhado com os existentes hoje nos principais torneios nacionais do Velho Continente: o Alemão, o Francês, o Italiano e o Espanhol.

"Este é um momento importante para o futebol inglês e que acreditamos que vai beneficiar grandemente os clubes e o país", afirmou o chefe executivo da FA, Martin Glenn, que também reconheceu.

"Não é nenhum segredo que temos um calendário muito congestionado e ao longo dos últimos anos temos trabalhado para encontrar uma solução para isso".

 
 
" />