Série B: Eliminado pelo STJD, o Icasa demite Leandro Sena e acerta com Vladimir de Jesus

Icasa vai recorrer ao Tribunal Pleno do STJD e aposta em Vladimir de Jesus para terminar a Série B

por Agência Futebol Interior

Juazeiro do Norte, CE, 30 (AFI) – A crise do Icasa passou da noite para o dia dos tribunais para o campo. Um dia após ter sido eliminado, em primeira instância, do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Campeonato Brasileiro da Série B, a diretoria prometeu recorrer à decisão e ainda promover uma limpeza no seu comando. Demitiu o técnico Leandro Sena e o supervisor de futebol André Turatto. O nome do badalado Flávio Araújo era cotado, mas a opção foi por uma solução caseira: Vladimir de Jesus.

Vladimir de Jesus, ex-fisicultor, já trabalhou em vários clubes no Ceará
Vladimir de Jesus, ex-fisicultor, já trabalhou em vários clubes no Ceará

Jesus dirigiu o Guarany de Sobral no primeiro semestre. E já pode estrear neste domingo, quando o Verdão do Cariri joga pela Taça Fares Lopes, contra o Iguatu. MIneiro de nascimento, Jesus levou o Cacique do Vale à segunda fase da Copa do Nordeste, além de ter conquistado a vaga cearense na Série D do Campeonato Brasileiro.

Ele tem passagens por outros clubes do Ceará, como Maranguape e São Benedito. Em Minas Gerais, passou pelo Poços de Caldas. Como preparador físico, trabalhou na comissão técnica de Ceará, Fortaleza e em outras equipes ao lado do técnico Lula Pereira.

TROCA E OPÇÃO DESCARTADA
A alegação da diretoria é que os resultados não são bons, como realmente provam os números. Em seis jogos, Sena venceu uma vez – 2 a 0 em cima do América-MG -, empatou outra e perdeu quatro vezes. Turatto caiu por conta de ter montado o elenco, considerado fraco. Mas desde o início da competição o clube não tem cumprido com suas obrigações salariais.

Flávio Araújo, ex-Sampaio Corrêa, badalado e cotado pelo Icasa
Flávio Araújo, ex-Sampaio Corrêa, badalado e cotado pelo Icasa

O nome mais cotado para assumir o cargo era Flávio Araújo, um dos técnicos mais badalados do Norte-Nordeste. Ele trabalhou quase três anos no Sampaio Corrêa, conseguindo dois acessos seguidos - da Série D até a Série B do Brasileiro. Há pouco mais de um mês ele deixou o comando do time maranhense.

Na terça-feira, abrindo a 19.ª rodada, o Icasa perdeu para o Boa Esporte, por 2 a 0, em Varginha (MG), ficando com 19 pontos, perto da zona de rebaixamento. O Icasa começou a competição com Tarcísio Pugliese, com campanha regular, apesar das dificuldades internas. Depois ele se transferiu para o ituano, campeão paulista e que disputa o Brasileiro da Série D.

SITUAÇÃO COMPLICADA

Além de ter que “arrumar a casa” a direção do Icasa terá que travar uma batalha jurídica não Tribunal Pleno do Rio de Janeiro. Sexta-feira, em primeira instância, por três votos a um, foi eliminado da competição por ter entrado na justiça comum pleiteando um lugar na Série A do Campeonato Brasileiro, infringindo o artigo 231 do CBJD - Código Brasileiro de Justiça Desportiva - que diz que é proibido pleitear, antes de esgotadas todas as instâncias da Justiça Desportiva, sob a pena de exclusão.

Além disso, o clube cearense também foi punido com uma multa de R$ 50 mil. Agora, o pleito decidirá se a punição será imediata ou posterior. Se mantida a decisão do Pleno, o Icasa já não estará em campo na próxima sexta-feira, às 19h30, contra a Ponte Preta, pela 20.ª rodada da Série B.

O Icasa pleiteou à justiça comum no início deste ano, quando o time cearense acusou o Figueirense de ter atuado com o volante Luan de forma irregular. O jogador, segundo os alviverdes, não poderia ter defendido o time catarinense contra o América-MG, no dia 28 de maio de 2013, porque o mesmo ainda possuía vínculo com o Metropolitano-SC.

Os alviverdes foram denunciados em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por acionar a Justiça Comum: 191 (II) e 231. Neste caso a punição acarretaria em multas que variam de R$ 100 a R$ 200 mil (somando os dois artigos) e a exclusão da competição.

 
 
" />