Guarani acerta férias de abril, mas mantém dívida pendente com elenco

Com receitas escassas, Bugre encara dificuldades financeiras em decorrência da pandemia

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 07 (AFI) - O Conselho de Administração do Guarani quitou, na última sexta-feira, o salário referente a abril com jogadores e comissão técnica.

No quarto mês do ano, o primeiro completo sem futebol no Brasil, os profissionais foram liberados para férias em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

Guarani realizou pagamento dos salários de abril - David Oliveira / Guarani FC
Guarani realizou pagamento dos salários de abril
Na luta para colocar as finanças em ordem o quanto antes, Bugre ainda deve o mês de maio, o primeiro com redução de 25% nos vencimentos, conforme determinado pela diretoria em virtude da queda natural de receitas.

"Em relação ao salário, o Guarani ainda tem um atraso. Estamos aí, tão logo, para colocar em dia. Aguardando as receitas que estão por entrar. Está tudo dentro do nosso planejamento. Não é nada de forma absurda. É tudo controlado", amenizou Michel Alves, superintendente executivo de futebol, em coletiva de imprensa.

"Então a diretoria está muito responsável em resolver isso o quanto antes, até porque o que a gente mais preza é a alegria e o ambiente de trabalho", acrescentou o dirigente.

Na quarentena, o time campineiro sofreu sérios impactos nas finanças. Além de perder as bilheterias de jogos com boa perspectiva de público no Brinco de Ouro da Princesa - Ponte Preta e São Paulo -, houve corte no repasse mensal da Magnum de R$ 350 mil em maio e junho.