Sem público no Dérbi 196, Guarani registra maior prejuízo como mandante em 2020

Por pandemia do coronavírus, Ministério Público determinou portões fechados no Brinco de Ouro da Princesa

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 18 (AFI) - Sem público nas arquibancadas do Brinco de Ouro da Princesa por pandemia do coronavírus, o Guarani registrou o maior prejuízo, na condição de mandante em 2020, no Dérbi 196.

No duelo disputado contra a Ponte Preta, na última segunda-feira, Bugre amargou prejuízo de R$ 17.088,17 por entrar em campo com os portões fechados após determinação do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP).

Guarani amarga prejuízo de quase R$ 20 mil no Dérbi 196 - David Oliveira / Guarani FC
Guarani amarga prejuízo de quase R$ 20 mil no Dérbi 196
Entre as maiores despesas do Alviverde no clássico clássico foram controle de doping (R$ 5.761,00) e segurança privada (R$ 3.560,00).

Vale lembrar que o Guarani já havia comercializado, até a última sexta-feira, aproximadamente 10 mil ingressos - a diretoria ainda não se pronunciou sobre a forma de ressarcimento ao torcedor.

BALANÇO

Na atual temporada, o Guarani já disputou cinco jogos como mandante no Campeonato Paulista, mas só teve lucro com as bilheterias em duas oportunidades: Santos (R$ 119.845,05) e Santo André (R$ 18.416,45).

O Bugre ficou no prejuízo contra Novorizontino (R$ - 859,41) e Água Santa (R$ - 10.423,09).