Covid-19 interrompe patrocínios, e Guarani vê situação financeira apertar

Por pandemia, elenco bugrino está liberado, inicialmente, até 06 de abril

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 25 (AFI) - A pandemia do Covid-19 já causa problemas ao Guarani. Uma semana após liberar o elenco para atividades em home office, o clube campineiro tem outro empecilho para encarar: o lado financeiro.

De acordo com o presidente Ricardo Miguel Moisés, em entrevista à Rádio Central de Campinas, os contratos junto aos patrocinadores foram interrompidos até o reinício das competições no país.

Sem patrocinadores, Guarani vê situação financeira apertar - David Oliveira / Guarani FC
Sem patrocinadores, Guarani vê situação financeira apertar

"Como os patrocinadores investem no Marketing e, neste momento, o Marketing não está existindo e voltará a existir tão logo quanto os campeonatos recomeçarem.... a gente combinou, em comum acordo, uma pausa no patrocínio mensal. Tão logo os campeonatos recomecem os pagamentos retornam", revelou o mandatário.

"Sempre compromete no pagamento de jogadores e funcionários, porque você faz um planejamento e tem que cumprir de acordo com o planejado. A falta desses recursos, tanto de bilheterias quanto de patrocínios, fazem falta", emendou.

PREJUÍZO

A realização do Dérbi 196 com portões fechados, após determinação do Ministério Público e da Secretaria Municipal de Saúde de Campinas, também trouxe problemas aos cofres.

"O valor total de arrecadação da bilheteria antes do fechamento das vendas para o dérbi foi de R$ 120 mil. Na verdade, foi de R$ 122 mil exatos. Então havia os ingressos vendidos, mais o sócio torcedor", lamentou.

"Então o Guarani disponibilizou já para os sócios duas situações: ou a troca desse ingresso por outro ingresso assim que o campeonato retomar com a validade de seis meses a partir do reinício da competição ou a restituição de valores", finalizou.