Paulistão: Sem previsão de pagamento, Guarani mantém dívida com ex-auxiliar técnico

Bugre ainda não quitou as pendências com Roberto Fonseca Júnior, desligado em agosto

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 13 (AFI) - Além de ainda não ter quitado a premiação pela fuga do rebaixamento ao elenco e dever quase dois 13º salários, o Guarani acumula outras dívidas a curto prazo.

Três meses depois, o Bugre ainda não acertou a rescisão contratual de Júnior Fonseca, filho e auxiliar de Roberto Fonseca - a comissão técnica foi desligada no final de agosto, após derrota diante do Operário.

Júnior Fonseca é um dos profissionais com valor a receber do Guarani - Letícia Martins / Guarani FC
Júnior Fonseca é um dos profissionais com valor a receber do Guarani

O clube campineiro ainda não pagou os 20 dias de salário referente ao mês de agosto, tampouco as verbas rescisórias.

"O Guarani é o 11º clube que trabalho com o meu pai, entres Série B e C. Vamos, agora, disputar o 5º Campeonato Paulista. Em sete anos de trabalho, é a primeira vez que isso acontece. E eles não deram satisfação. Infelizmente, não nos atende", lamentou Júnior Fonseca, em entrevista ao Portal Futebol Interior.

"Guarani deu satisfação por meio de um integrante do Conselho de Administração. Passaram o contato do presidente (Ricardo Moisés), mas não consegui falar com ele", emendou.

O valor aproximado, em carteira, é abaixo de R$ 10 mil. Com cofres vazios, Guarani encontra dificuldades no mercado em busca de novas contratações para o Campeonato Paulista.

Júnior, ao lado do pai Roberto, já encaminhou a pendência junto ao Alviverde a um advogado de São Paulo e cogita entrar na Justiça para receber os valores aos quais têm direito.