Série B: Palmeron Mendes Filho descarta renúncia e diz que segue no Guarani

O clima nos bastidores do clube ficou pesado e já está em andamento um movimento interno para começar um processo de impeachment

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 10 (AFI) - Palmeron Mendes Filho continua sendo o presidente do Guarani Futebol Clube. Em entrevista coletiva concedida na manhã desta sexta-feira, o advogado disse que não renunciou ao cargo na noite da última quinta, quando aconteceu a reunião do Conselho Deliberativo.

O mandatário bugrino, que estava no Rio de Janeiro para tratar sobre as cotas com Esporte Interativo - o canal anunciou na tarde da última quinta o fechamento dos seus dois canais de televisão -, ligou para o conselho Rodrigo Magoo, responsável pelo projeto Sócio-Torcedor, e disse que estava renunciando.

"Não houve renúncia e nem haverá. O Magoo é meu amigo, meu confidente. Não existiu mensagem nesse teor de renúncia. O que externei para o Magoo e talvez tenha sido mal interpretado é que as vezes nos dá vontade de renunciar, mas isso não aconteceu e nem acontecerá", afirmou Palmeron Mendes Filho.

O presidente Palmeron Mendes Filho disse que tudo não passou de um mal entendido e não vai renunciar (Foto: Letícia Martins/Guarani Press)
O presidente Palmeron Mendes Filho disse que tudo não passou de um mal entendido e não vai renunciar (Foto: Letícia Martins/Guarani Press)

COMO COMEÇOU
Toda essa polêmica se deve ao fato do Conselho Deliberativo ter cancelado a Assembleia Geral de Sócios marcada para a próxima segunda-feira, quando seriam votadas as propostas de cogestão do futebol bugrino. De um lado, está a Magnum/ASA, liderada por Roberto Graziano. Do outro, está Elenko Sports/Traffic, liderada por Nenê Zini.

Mesmo à distância, Palmeron Mendes Filho teria ficado sabendo que a proposta do grupo Magnum/ASA não iria prosperar, o que o deixou bastante irritado, a ponto de ter falado "que as vezes nos dá vontade de renunciar".

Com toda essa confusão, a Assembleia Geral de Sócios para a análise das propostas ainda não tem uma nova data. A intenção da diretoria era definir o parceiro no processo de cogestão para reforçar o elenco antes do dia 10 de setembro, quando se encerra o prazo para contratações na Série B do Brasileiro.

"O Conselho de Administração reconhece a decisão do Conselho Deliberativo e não haverá Assembleia na próxima segunda-feira. Não acredito mais na possibilidade de uma Assembleia até o dia 10 de setembro, que é quando encerra o prazo para contratações na Série B", finalizou o presidente.

CLIMA QUENTE!
Internamente, o presidente vem sendo visto por torcedores e conselheiros mais preocupado em defender os interesses da Magnum do que do próprio clube. A marcação da Assembleia para o dia 13 de agosto, justamente quando o Guarani completa 40 anos da conquista do título brasileiro e com o time tendo jogos importantes na Série B, causou revolta até mesmo ente integrantes do Conselho de Administração.

Caso a renúncia não seja confirmada, existe um movimento interno para pedir o impeachment do presidente Palmeron Mendes Filho.

 
 
" />