Renovado após vitória no Gre-Nal, Grêmio encara o líder Atlético-MG no Mineirão

O time de Renato Gaúcho não vivia boa fase, mas se reabilitou com vitória no clássico pela Libertadores

por Agência Estado

Porto Alegre, RS, 26 (AFI) - Renovado e mais confiante depois de vencer o Internacional no Gre-Nal pela Copa Libertadores e chegar a dez jogos de invencibilidade diante do maior rival, o Grêmio quer aproveitar o bom ambiente gerado pelo triunfo no Beira-Rio e melhorar seu rendimento no Campeonato Brasileiro. O desafio deste sábado, às 21h, é complicado: pegar o líder Atlético-MG, fora de casa, pela 12ª rodada.

Se na Libertadores o Grêmio voltou à briga pela liderança de seu grupo e está em situação menos desconfortável para se classificar ao mata-mata, no Brasileirão o time gaúcho oscila muito e ainda não foi capaz de engatar uma sequência de vitórias que o consolidasse na parte de cima da tabela.

O grande problema é o excesso de empates. Com sete igualdades, a equipe é, ao lado do Botafogo, a que mais empatou no campeonato. Venceu duas partidas e foi derrotada apenas uma vez, mas a sequência de jogos somando apenas um ponto deixou o Grêmio na 12ª colocação, com 13 pontos, longe dos líderes.

"Não podemos ficar vivendo apenas do Gre-Nal, temos que trabalhar para manter cada vez mais esse bom ritmo de jogo e, quem sabe, fazer um grande jogo contra o Atlético-MG para manter a sequência boa", alertou Pepê, autor do gol que garantiu a vitória no clássico e um dos destaques nesta temporada.

Renato Gaúcho trabalhou muito nos bastidores e nos microfones, minimizando os resultados ruins anteriores, reiterando que seus comandados têm qualidade e que as críticas eram exageradas. Agora, a missão é fazer com que seu time deslanche também na competição nacional.

O caminho está pavimentado para uma reação. No entanto, contra o Atlético-MG, líder do Brasileirão, não será fácil. Além da qualidade do adversário, o compromisso se torna ainda mais desafiador porque é muito provável que o Grêmio entre em campo neste sábado com uma equipe bastante modificada, cheia de reservas, de olho no duelo diante da Universidad Católica, do Chile, na próxima terça-feira, às 19h15. O jogo é decisivo para a classificação às oitavas de final da Libertadores.

"Às vezes tenho que modificar pelas ausências de jogadores. E mesmo assim, estamos reinventando a cada partida. Importante não ficar somente em um esquema", explicou o treinador, que ainda não terá os retornos de Geromel, Maicon e Jean Pyerre, todos lesionados. Vanderlei, Kannemann, Alisson e Diego Souza nem sequer viajaram a Belo Horizontes e serão poupados.

O clube informou que todos os 71 exames de covid-19 realizados no elenco, comissão técnica e funcionários do departamento de futebol deram resultados negativos.