Grêmio protesta com máscaras e pede paralisação do Gaúcho devido ao coronavírus

Todos os jogadores do Tricolor, além do técnico Renato Gaúcho, entraram em campo com máscaras em sinal de protesto

por Agência Estado

Porto Alegre, RS, 15 (AFI) - O Grêmio se mostrou insatisfeito pela não paralisação dos jogos do Campeonato Gaúcho em meio a pandemia do novo coronavírus que assola o mundo. Antes do duelo com o São Luiz, vencido pelo time tricolor de virada por 3 a 2 neste domingo, os jogadores e o técnico Renato Gaúcho entraram em campo de máscara, em sinal de protesto.

CLUBE QUER PARAR
O clube entende que o campeonato deve ser suspenso pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF). A suspensão seria uma medida preventiva que evitaria a propagação da Covid-19.

"Temos que ver se vai paralisar (o campeonato) ou não. Espero que sim porque nós jogadores não somos imunes ao vírus. Vamos ver o que a federação vai fazer pra que todos fiquem bem", afirmou em entrevista ao SporTV o meia Thiago Neves, que marcou o seu primeiro gol com a camisa do Grêmio na vitória deste domingo.

PORTÕES FECHADOS
O jogo na Arena do Grêmio foi realizado com portões fechados por determinação da FGF. A decisão vale para todos os jogos da rodada do Campeonato Gaúcho e também da Divisão de Acesso, a segunda divisão estadual. A entidade avalia se vai manter os estádios sem público nos demais jogos ou se adota outra medida.

"Tem que parar o futebol, não é só o público que corre risco, nós jogadores também", analisou o zagueiro Paulo Miranda. Ele também balançou as redes na partida.

Nas capitais de outros estados, como São Paulo e Rio de Janeiro, também houve jogos sem torcida e nenhuma partida foi suspensa ou adiada.

Em Limeira, interior paulista, o duelo entre Inter e Palmeiras foi aberto ao público.

EUROPA PARADA
Na Europa, todas as principais ligas de futebol estão paradas. Clubes e os organizadores dos campeonatos vão discutir o futuro das competições nos próximos dias. Seguindo a onda de paralisações de eventos esportivos ao redor do mundo, a Liga dos Campeões e a Copa Libertadores também foram suspensas.

Os países com mais casos de pessoas infectadas pelo coronavírus na Europa são a Itália e a Espanha, incluindo atletas profissionais, como Daniele Rugani, da Juventus, e Ezequiel Garay, do Valencia. Os governos desses países adotaram meditas restritivas e decidiram pelo confinamento da população em meio à rápida expansão do vírus.