Renato Gaúcho afirma: "No Grêmio não existe crise"

O treinador ainda lamentou a saída de Valdir Espinoza, seu amigo pessoal

por Agência Estado

Porto Alegre, RS - Preocupado com a semifinal da Copa do Brasil, o Grêmio deve poupar boa parte de seus titulares para o duelo contra o Botafogo, neste domingo, às 19 horas, no Engenhão, no Rio de Janeiro, pela 20ª rodada do Campeonato Brasileiro, a primeira do returno.

E os reservas que entrarem em campo terão uma missão importante pela frente: demonstrar que a turbulenta saída do então coordenador de futebol do clube, Valdir Espinoza, não tumultuou o bom momento gremista. Algo que o técnico Renato Gaúcho, amigo pessoal do assistente demitido, já tentou antecipar.

"Sem dúvida fiquei triste, além de um grande profissional, é meu amigo particular", ponderou Renato. "No Grêmio não tem crise. Enquanto estiver no Grêmio, não tem crise. A única crise que pode entrar no Grêmio é no momento que o clube não obter vitórias. No momento que os resultados não aparecerem, não pela saída do Espinoza."

Renato Gaúcho descartou uma possível crise gremista
Renato Gaúcho descartou uma possível crise gremista
NA BUSCA!
Vice-líder do Brasileiro e com oito pontos de desvantagem para o Corinthians, contudo, o Grêmio corre o risco de ver o adversário se distanciar ainda mais na tabela, uma vez que poupará boa parte dos titulares neste domingo pensando no duelo de quarta, contra o Cruzeiro, em Porto Alegre, pelo jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil.

Uma das poucas exceções deve ser Edilson. Poupado do triunfo sobre o Godoy Cruz (Argentina), pela Copa Libertadores, ele está recuperado de um problema muscular e auxiliará o time que terá Paulo Victor, Bruno Rodrigo, Marcelo Oliveira, Fernandinho e Everton, entre outros jogadores que têm se destacado quando o Grêmio atua com o time misto.