Há 14 anos, Grêmio Barueri quebrava recorde estadual de acessos

Equipe saiu da Série B3 para a Série A1 com acessos consecutivos entre 2002 e 2006

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 20 (AFI) - A Série B3 do Campeonato Paulista já teve 39 participantes diferentes em suas três edições. Apenas um, porém, conseguiu sair do último escalão do futebol paulista e chegar na elite: o Grêmio Barueri. E foi há exatos 14 anos que a equipe conquistou o seu último acesso estadual.

Após quatro acessos seguidos entre 2002 e 2005, o Barueri entrou na Série A2 com grande expectativa, já que faltava apenas um degrau para atingir a elite. O time da Grande São Paulo foi dominante na primeira fase, marcando 43 pontos de 54 possíveis. Classificado, o Barueri teve pela frente União São João, Rio Preto e Guaratinguetá. Os times duelaram em ida e volta e os dois melhores conquistavam o acesso.

Há 14 anos, Grêmio Barueri quebrava recorde estadual de acessos
Há 14 anos, Grêmio Barueri quebrava recorde estadual de acessos
A boa campanha na primeira fase não se refletiu na estreia da etapa seguinte e os baruerienses perderam em Guaratinguetá, saindo atrás no grupo. A recuperação veio com vitória sobre o Rio Preto e um empate em Araras.

O segundo turno começou com triunfo sobre o União São João, mas uma derrota em São José do Rio Preto deixou o time com a vaga ameaçada. Era necessário vencer o Guaratinguetá. E foi o que aconteceu. No dia 20 de maio, o Barueri ganhou por 2 a 1, de virada, e sacramentou o seu último acesso estadual (ficha técnica abaixo).

A equipe ainda seria campeã ao vencer o Sertãozinho, por 4 a 1, na decisão, fechando com chave de ouro o seu primeiro período nas divisões de acesso do futebol paulista.

COMO METEORO
O ingresso de Barueri no futebol se deu com uma parceria com a Incorporadora Roma. Juntos, eles montaram a equipe que surpreendeu o Brasil e foi campeã da Copa São Paulo de 2001. A parceria foi desfeita, mas com apoio da prefeitura, o Grêmio Recreativo Barueri se profissionalizou e estreou na Série B3 naquele mesmo ano, mas acabou eliminado ainda na primeira fase.

A ascensão, de fato, começou em 2002. Após liderar seu grupo na fase inicial e eliminar o Águas se Lindóia nas quartas, o time sucumbiu para a Portuguesa B. Apenas os finalistas – Lusa e Jabaquara – teriam direito ao acesso, porém, devido a desistência de algumas equipes, o time barueriense foi chamado para compor a Série B2 de 2003.

A chance dada não foi desperdiçada. Após se classificar em segundo na primeira fase, o time disputou um octagonal final com acesso para os dois primeiros. O Jalesense acabou campeão, com 28 pontos, enquanto o Barueri somou 27 e ficou com a segunda vaga.

Em 2004, a Série B1 contou com 16 participantes. Mais uma vez o Grêmio Barueri avançou na segunda colocação. No octagonal final, o time da Grande São Paulo foi o quarto, atrás de Monte Azul, Ferroviária e ECUS, mas garantiu o acesso, como previa o regulamento.

O ano seguinte foi memorável para a equipe. Já com Pedrão brilhando no comando de ataque – fez 22 gols no torneio –, o Barueri sobrou na Série A3. Na caminhada do acesso, uma goleada de 8 a 0 – a maior de sua história - sobre o São José. Na final, o empate em 1 a 1 com o Palmeiras B garantiu o primeiro título do clube no profissionalismo.

RECORDE NACIONAL
Assim como em São Paulo, o Barueri também teve sucesso nacional. A equipe ingressou na Série C do Campeonato Brasileiro ainda em 2006, herdando uma desistência do Rio Claro. Assim como havia feito em 2003, aproveitou a chance e subiu para a Série B nacional. Após se manter em 2007, conquistou novo acesso em 2008, se tornando o primeiro e único time do Brasil a subir sete divisões diferentes (B3 > B2 > B1 > A3 > A2 > A1, em São Paulo, e C > B > A, no Brasil).

MUDANÇAS E QUEDAS
Na elite estadual e nacional, o Grêmio Barueri mudou de casa em 2010, indo para Presidente Prudente e passando a se chamar Grêmio Prudente. Na nova cidade, o time ainda atingiu a semifinal do Paulistão, mas não conseguiu se manter na elite nacional. No ano seguinte, caiu também no estadual. Logo em seguida, voltou para a sua cidade natal e à antiga denominação, mas não repetiu o sucesso de antes. Os acessos do início da trajetória viraram rebaixamentos entre 2012 e 2016, ano em que o clube disputou sua última competição oficial.

FICHA TÉCNICA
Grêmio Barueri 2x1 Guaratinguetá
Data:
20/05/2006
Local: estádio Orlando Batista Novelli, em Barueri
Árbitro: Rodrigo Martins Cintra

Grêmio Barueri: Oliveira; Edylton, Anderson Marques, Fábio Luis e Nilton (Paulinho) (Michel Costa), Bilinha, Senna, Michael e Júlio; Pedrão e Everton (Marcos Dias) Técnico: José Carlos Fescina.

Guaratinguetá: Yamada, Giovani, Rocha, Ricardo Villa e Junior (Almir), Tobi, Célio, Alê, Gilberto (Wagner Carioca), Nenê e Laécio. Técnico Vilson Tadei.

Gols: Alê (5’/1ºT), Everton (5’/2ºT) e Pedrão (21’ /2ºT).

Cartões Amarelos: Bilinha e Senna; Tobi, Láecio e Gilberto.

Por Ruben Fontes Neto, especial para a FPF