Sem dinheiro e técnico, Rio Verde vê altetas pedirem rescisão e serem despejados de hotel

Segundo o Portal 730 de Goiânia, jogadores deixaram hotel e serão relocados em uma pensão para reduzir os gastos

por Agência Futebol Interior

Rio Verde, GO, 14 (AFI) - Com 54 anos de fundação, o Rio Verde passa por uma crise sem precedentes na história do clube. Sem dinheiro, a torcida viu o treinador Júnior Pezão deixar o clube após comandar o time em apenas uma partida. Ex-diretor de futebol, Reino Alves declarou que faltava alimento para os atletas, que nesta terça, foram despejados do hotel em que estavam hospedados. Como se tudo isso não bastasse, o ex-preparador físico do clube afirma que suplementos vencidos foram dados aos jogadores.

Reino Alves deixou o cargo de diretor de futebol do Rio Verde (Foto: Artur Magalhães / Portal 730)
Reino Alves deixou o cargo de diretor de futebol do Rio Verde (Foto: Artur Magalhães / Portal 730)
DESPEJO

Segundo o Portal 730, os jogadores tiveram que deixar o Hotel Vitória Régia, devido a pendências do clube com o estabelecimento. A publicação diz ainda que, Wolney Marques, presidente do Verdão da Sudoeste, afirma que o débito está sendo negociado.

Procurando minimizar os gastos, o dirigente, que entende a saída dos atletas como uma mudança, deve relocá-los em uma pensão.

DEBANDADA?
Maior nome do elenco, o experiente Jean, de 35 anos, que já vestiu a camisa de clubes importantes como Corinthians, Flamengo e Vasco, acertou sua rescisão contratual. Ele chegou este ano ao clube, mas optou por não permanecer, tendo em vista o momento instável do Rio Verde.

SEM VERBA
Após a saída de Júnior Pezão, Reino Alves, ex-diretor de futebol do clube afirmou que estava tudo bagunçado: salários atrasados, atletas que não queriam treinar, entre outros. Tais motivos fizeram o mesmo deixar o cargo.

“Chegou ao ponto dos jogadores estarem almoçando e o dono do restaurante bater nas costas falando que era a última refeição porque o clube não havia pagado. No hotel a mesma situação, ouviram dos proprietários que seriam despejados por falta de pagamento. Somente neste campeonato já tivemos mais de 9 mil torcedores nos jogos do Rio Verde, e numa média de R$ 20 dá uma arrecadação de R$ 180 mil, aí tira 30% das ações trabalhistas, 10% da federação, e sobra mais de R$ 100 mil, não dá pra entender o atraso”, disse, em entrevista ao Portal 730.

ACUSAÇÃO PESADA!
Ex-preparador físico do clube, Fabrício Traczinski disse que suplementos vencidos foram entregues aos atletas. A denúncia, entretanto, foi negada pelo presidente clube, que disse que nada disso ocorreu.


 
 
" />