Fontenelle alfineta Sheik, do Corinthians: ‘Se assumir gay, vai ser muito feliz’

O atacante deu uma entrevista falando de seu relacionamento com a atriz, ao mesmo tempo que ficava com Nicole Bahls

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 05 (AFI) – Pouco aproveitado pelo Corinthians durante a temporada 2018, Emerson Sheik ainda é destaque quando resolve falar com a imprensa. O atacante falou sobre um ‘triângulo amoroso’ envolvendo a atriz Antônia Fontenelle e a ex-panicat Nicola Bahls, ao canal de YouTube ‘Resena Delas’, e acabou tendo a sexualidade contestada por uma delas.

“Foi um ponto negativo da minha vida. Não sou santo, pegava as duas na época. Não tinha nada sério com elas. Cada uma tinha sua vida, mas quando a agenda batia, saíamos. Teve uma situação legal (com a Fontenelle), uma situação gostar de estar perto um do outro. Existia um sentimento”, falou Sheik.

Já a atriz não gostou de ter novamente seu nome envolvido com o corintiano e retrucou: “Eu conheci esse rapaz em 5 de novembro de 2014 e eu terminei com ele em março de 2015. Foram 4 meses muito tumultuados na minha vida, 4 meses de muita exposição desnecessária. Ele me apresentou aos filhos, a família, a mãe, a irmã, peguei uma amizade com a família dele. Com o passar do tempo, eu consegui ver quem era esse rapaz. Ele se relacionava com várias mulheres ao mesmo tempo", falou ao ‘Hora da Venenosa.’

"No dia que o Emerson Sheik se assumir gay, ele vai ser muito mais feliz. Acho que tá faltando isso, que daí ele vai se entender melhor como pessoa”, completou.

POLÊMICA
Vale lembrar que o atacante já foi alvo de homofobia de uma das torcidas organizadas do Corinthians, a Camisa 12. Na ocasião, o atleta postou uma foto dando um ‘selinho’ no amigo Isaac Azar, dono do restaurante Paris 6, no Jardins. Em protesto, membros da organizada levaram uma faixa homofóbica ao estádio.

A Secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo condenou a torcida a pagar uma multa de R$ 20 mil a um fundo assistencial.

 
 
" />