Após fracasso na Copa, atacante é suspenso por 18 jogos na seleção francesa

Dos demais jogadores convocados pela federação para depor nesta terça-feira, apenas Eric Abidal não sofreu nenhuma punição

por Agência Estado

Campinas, SP, 17 (AFI) - A Federação Francesa de Futebol foi dura com os principais envolvidos em uma série de episódios que culminou na vergonhosa participação francesa durante a Copa do Mundo da África do Sul. Cortado da seleção após xingar o então técnico Raymond Domenech, o atacante Nicolas Anelka foi o mais prejudicado e acabou suspenso nesta terça-feira por 18 partidas da França.

Dos demais jogadores convocados pela federação para depor nesta terça-feira, apenas Eric Abidal não sofreu nenhuma punição. O capitão Patrice Evra acabou suspenso por cinco jogos, Franck Ribery por três e Jeremy Toulalan por um. Vice-campeã mundial em 2006, a seleção francesa foi eliminada na primeira fase desta Copa após empatar com Uruguai e perder de México e da anfitriã África do Sul.

Encerrado o Mundial, a federação francesa abriu investigação para apurar os problemas ocorridos na competição, sobretudo o boicote a um treino logo após Anelka ser cortado - ele xingou Domenech no intervalo da partida contra o México. Embora todos os jogadores tenham participado da greve, apenas os cinco líderes do motim foram julgados.

Na sessão desta terça-feira, estiveram presentes Evra, Abidal e Toulalan. Ribery, por sua vez, foi proibido de participar pelo Bayern de Munique - estreia sexta-feira no Campeonato Alemão, contra o Wolfsburg - e mandou apenas o seu advogado, assim como Anelka.

Antes de a decisão ser anunciada, o atual treinador da França, Laurent Blanc, revelou ser contrário a qualquer punição. "Não me tornei treinador para punir a seleção francesa. Estou interessado apenas em contar com os melhores jogadores. Para conseguir os melhores resultados, preciso do melhor time".