Chapa com advogado que 'rebaixou' Lusa e 'homem-forte da Unimed' vence eleição no Flu

O advogado Mário Bittencourt é o novo presidente tricolor, enquanto Celso Barros será o vice geral

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 08 - Mário Bittencourt é o novo presidente do Fluminense. Neste sábado, o advogado, que terá Celso Barros como vice geral, venceu a eleição ao receber 2.225 votos, contra apenas 1.032 da chapa adversária, que tinha Ricardo Tenório, como candidato à presidência, e Wagner Victer, como vice. Ainda foram 24 votos nulos e cinco em branco.

Aos 40 anos, Bittencourt já foi vice-presidente de futebol e jurídico do Fluminense. Agora, vai suceder Pedro Abad e se tornará o 35º presidente da equipe. E a sua posse para o mandato de três anos e meio, até o fim de 2022, será na próxima segunda-feira.

Em 2013, Bittencourt ganhou notoriedade no Fluminense ao ser o advogado do clube no julgamento que evitou o seu rebaixamento no Campeonato Brasileiro - a Portuguesa perdeu pontos por uso irregular do meia Heverton e caiu. Em 2016, concorreu à presidência tendo Tenório como vice, mas acabou perdendo para Abad, que, agora, enfraquecido politicamente, teve o fim do seu mandato antecipado.

Mário Bittencourt (e) e Celso Barros (d) - Foto: Divulgação / Fluminense FC
Mário Bittencourt (e) e Celso Barros (d) - Foto: Divulgação / Fluminense FC

RETORNO IMPORTANTE
A eleição de Bittencourt à presidência também marca o retorno de Barros, como vice, ao clube. Ele foi presidente da Unimed durante o período em que ela patrocinou o clube com êxito esportivo. Em suas primeiras palavras após a eleição, Bittencourt exibiu preocupação com os problemas financeiros do Fluminense.

"Precisamos organizar a dívida para que o Fluminense possa ter fluxo de caixa. Operacionalmente, o Fluminense é um clube viável. Ele fatura mais do que gasta, por exemplo, no futebol. O problema é que o valor da dívida engole essa diferença e isso acaba 'engessando' nosso fluxo de caixa. Nossa ideia é reparcelar as dívidas trabalhista, fiscal e cível, que são grandes problemas do Fluminense, e aí sim passar a ter fluxo de caixa. Com as receitas ordinárias e extraordinárias entrando no fluxo de caixa, conseguimos pagar os salários", disse.

SATISFEITO?
O presidente eleito também elogiou o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo técnico Fernando Diniz à frente do Fluminense.

"Queremos manter o trabalho. Eu e Celso consideramos o trabalho do Fernando Diniz muito bom. Óbvio que o Fluminense precisa voltar a vencer no Campeonato Brasileiro, tentar vencer os próximos jogos e voltar para os trilhos. O trabalho é muito bem feito, até dentro das condições que o Fluminense tem", afirmou.

FOCO
Além disso, indicou o desejo de contratar ídolos históricos do Fluminense, como Fred, hoje no Cruzeiro.

"Obviamente que repatriar jogadores que aqui fizeram história pode fazer com que os patrocinadores possam se aproximar. Temos algumas ideias e projetos em relação a isso. Alguns nomes já manifestaram a vontade de voltar ao Fluminense e é um desejo nosso também, mas eles sabem que a realidade é outra e que podem nos ajudar a captar patrocinadores", comentou.