Fluminense busca repetir vitória de 2018 na Arena Condá para encerrar má fase

De dez confrontros contra os catarinenses no sul, o Tricolor Carioca venceu apenas duas vezes

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 13 - Além do jejum de três jogos sem vencer no Campeonato Brasileiro, o Fluminense carrega para Chapecó um incômodo retrospecto contra a equipe da casa. Contra a Chapecoense, na partida desta quinta-feira, às 20h, pela nona rodada da competição, os cariocas tentarão, como fizeram em 2018, contrariar o histórico para sair de campo com a vitória.

Em dez encontros pelo Brasileirão desde 2014, o Fluminense superou os catarinenses apenas em duas oportunidades, tendo sido derrotado em outras seis ocasiões e empatado nas outras duas.

Na última vez que se enfrentaram, porém, a equipe das Laranjeiras finalmente venceu na Arena Condá ao marcar 2 a 1 nos anfitriões, em setembro do ano passado.

A equipe de Fernando Diniz vem de uma sequência de resultados sem vitória, incluindo na Copa do Brasil - da qual foi eliminada diante do Cruzeiro nos pênaltis - e na Copa Sul-Americana. Desde a ótima exibição contra os colombianos do Atlético Nacional, quando golearam por 4 a 1, em 23 de maio, no Maracanã, os tricolores não sabem o que é vencer.

De lá para cá, já são cinco jogos de jejum, sendo três derrotas (Bahia e Athletico-PR pelo Brasileirão; e Atlético Nacional pelo jogo de volta da Sul-Americana) e dois empates (Flamengo, no Brasileirão, e Cruzeiro, Copa do Brasil).

Em 2018, o Fluminense bateu a Chapecoense na Arena Condá. (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)
Em 2018, o Fluminense bateu a Chapecoense na Arena Condá. (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)
"A gente sabe que precisa pontuar no Campeonato Brasileiro. Nas últimas partidas, fizemos bons jogos, mas não conseguimos o resultado. Estamos numa posição delicada, perto da zona (de degola), e seria importante esses três pontos antes da parada para a Copa América, para dar mais tranquilidade" comentou Caio Henrique.

Mas a falta de sorte nas partidas não é a única adversidade a ser superada por Fernando Diniz. O técnico tem problemas no time, a começar pela ausência do atacante Luciano, que deve ser definitiva.

O jogador de 26 anos tem propostas de outros clubes do Brasileirão e pediu para não ser relacionado para o compromisso desta quinta-feira. Em seu lugar, deve ser escalado do garoto Marcos Paulo, formado nas divisões de base.

Já o zagueiro Nino volta após cumprir suspensão no empate em 0 a 0 contra o Flamengo, enquanto Matheus Ferraz continua no departamento médico e dá lugar outra vez a Frazan. Na lateral direita, Igor Julião deve ser opção novamente para o lugar de Gilberto.