Herói do Flu, Richard desabafa após invasão a CT: 'Me chamaram de mercenário'

Acertado com o Corinthians, meio-campista ainda agradeceu o time carioca

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 02 - Após a vitória por 1 a 0 sobre o América-MG, que decretou a permanência do Fluminense na elite do Campeonato Brasileiro, as lágrimas tomaram conta dos jogadores do time no gramado do Maracanã.

Um dos mais emocionados foi o volante Richard, autor do único gol da partida, que também encerrou o jejum de oito partidas sem marcar do time carioca.

"Fiz o gol, mas o mérito é de todo o grupo. Independentemente do que aconteceu, invadiram lá, cobraram. Não é porque cobraram que a gente jogou hoje. Futebol é feito de fase, a nossa fase estava ruim e a bola não queria entrar", comentou o meio-campista.

Após a eliminação na Copa Sul-Americana para o Atlético-PR, derrota por 2 a 0, no último meio de semana, torcedores do Fluminense invadiram o centro de treinamentos do clube e chegaram a peitar os jogadores.

"Queria desabafar porque só a gente sabe o que passou lá dentro. Me chamaram de mercenário, tudo que você possa imaginar, de que eu ia para o Corinthians. Não tive medo algum, isso serve de aprendizado. Não tenho raiva nem rancor de quem foi lá e me xingou. O que eu consigo ter por esse clube é só gratidão mesmo. Por tudo que fizeram por mim, pela oportunidade. Me apresentaram para o mundo", completou o jogador, que está acertado com o Corinthians para 2019.

ELOGIOS DE GUM
Quem também elogiou Richard foi Gum, capitão tricolor. "Deus abençoou muito esse rapaz aqui. Muitos jogos no limite, fazendo tratamento para dor, vendido faz tempo, mas em nenhum momento deixou de nos ajudar", acrescentou o zagueiro.

Revelado no interior de São Paulo, Richard chegou ao Fluminense em 2017, contratado junto ao Atibaia. Ele se despede do clube com 67 partidas disputadas e quatro gols.

O zagueiro Digão chorou copiosamente ao término do jogo, segundo ele, para descarregar a tensão e a pressão dos últimos dias.

"Tiro um caminhão de areia das minhas costas", resumiu.

INTERINO BRINCA
O técnico interino Fábio Moreno enfatizou a importância de deixar o Fluminense na elite, "onde o encontrei". Ele ressaltou o esforço incomum dos jogadores neste momento delicado do clube, com salários atrasados e problemas extracampo.

Por fim, brincou um pouco com sua própria situação, estreando como técnico de forma inesperada após a demissão de Marcelo Oliveira.

"Saio de campo com 100% de aproveitamento", disse, sorrindo. Era um modo de descarregar toda a tensão dos últimos dias.

 
 
" />