Fluminense 3 x 0 LDU - Tricolor dá show, mas fica sem a taça!

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 02 (AFI) – O Fluminense fez de tudo nesta quarta-feira, mas não teve jeito: a LDU é a campeã da Copa Sul-Americana de 2009. Após goleada de 5 x 1 em Quito, o time equatoriano veio ao Brasil para se defender. Aguerrido e com o apoio de sua torcida, que lotou o Maracanã, o Tricolor venceu por 3 x 0, mas não conseguiu reverter a larga vantagem do adversário.
Os dois gols da vitória foram marcados por Diguinho (após desviou do zagueiro) e Fred, no primeiro tempo, e Gum, na segunda etapa. Na etapa final, o Fluminense bem que tentou pressionar, mas a LDU (jogando com um a menos desde meados do primeiro tempo) se defendeu como pôde e evitou a derrota por goleada.
Tudo poderia ter sido diferente se o craque do time não tivesse perdido a cabeça. Após falta marcada a favor dos equatorianos na lateral, Fred deu uma cabeçada no árbitro Carlos Amarilla e foi expulso. O lance aconteceu logo após o terceiro gol do Fluminense, acabando com as esperanças de vitória da torcida.
Título histórico!
O título continental representa muito para a LDU. Depois de ser o primeiro clube equatoriano a vencer a Libertadores, em 2008, "La U" se tornou novamente o primeiro time do Equador a ganhar a Copa Sul-Americana.
Antes do título de Méndez, Bieler e companhia, apenas outros seis times haviam levantado o troféu: San Lorenzo (2002), Cienciano (2003), Boca Juniors (2004 e 2005), Pachuca (2006), Arsenal (2007) e Internacional (2008). Ao todo, apenas argentinos, peruanos, mexicanos e brasileiros haviam vencido a competição.
Pressão garante vitória boa!
Cuca mexeu no time e botou três atacantes no Fluminense. A entrada de Adeílson, porém, não mudou muito a qualidade do futebol. Pelo contrário. No entanto, fez com que os cariocas pressionassem mais a saída de bola da LDU, o que foi importante para o abafa inicial.
Logo em sua primeira chance, aos 13 minutos, o Tricolor abriu o placar. Diguinho arriscou da intermediária e contou com desvio para vencer o goleiro Domínguez e fazer 1 a 0. A bola entrou no canto direito. Logo em seguida, Conca tabelou com Fred e cruzou na medida para Adeílson. O ex-jogador do Ipatinga, porém, não conseguiu desviar a bola pra dentro do gol.
A vida dos cariocas ficou ainda mais fácil. Num Maracanã lotado, a LDU mostrou descontrole e abusou das faltas. Aos 17 minutos, De la Cruz fez falta violenta em Diguinho no meio-campo e recebeu o cartão vermelho direto, para desespero do técnico Jorge Fossati, que, aos gritos, não conseguia acertar seu time em campo.
Com um a mais, o Fluminense tinha tudo para aumentar seu volume de jogo e construir o placar elástico que precisava. Contudo, Fred e companhia pararam na cadência da LDU, que se fechou no meio-campo e cadenciou o jogo com experiência, parando o ímpeto tricolor.
O time da casa ainda criou algumas oportunidades. Aos 25, Conca arriscou chute da entrada da área, mas Domínguez defendeu com facilidade. Cinco minutos depois, Diguinho recebeu cruzamento e cabeceou para as redes. O lance, porém, foi invalidado, já que o volante estava impedido.
No final, brilhou a estrela de Fred. Primeiro, aos 40, o atacante girou sobre o zagueiro e bateu rasteiro, já dentro da área. Domínguez se esticou e defendeu no canto esquerdo, sem dar rebote. Três minutos depois, ele guardou o seu. Alan recebeu na esquerda e lançou Fred dentro da área. O artilheiro ajeitou e bateu no canto esquerdo, na saída de Domínguez.
Tinha tudo pra ser diferente!
O Fluminense não desceu para os vestiários. Com a intenção de motivar ainda mais o elenco, Cuca fez com que os jogadores permanecessem no gramado do Maracanã durante todo o intervalo. Com isso, o time voltou mordendo e bastante pilhado para a segunda etapa.
Adeílson perdeu boa chance logo de cara, a um minuto. Após cruzamento de Mariano, Adeílson arriscou o chute, na rede pelo lado de fora. Cuca cansou do artilheiro e colocou Ruy em campo. Logo depois de entrar, aos 13 minutos, o lateral quase marcou. Conca lançou Ruy dentro da área. A bola tocou em sua cabeça e bateu na trave direita.
A pressão foi aumentando com o passar do tempo. Conca, principal maestro do time, entrou de vez no jogo a partir dos 20 minutos, o que fez o Flu dar um salto de qualidade. Aos 25 minutos, o argentino pegou sobra dentro da área e bateu forte de perna direita. Domínguez espalmou para escanteio. Na cobrança, Conca cruzou na cabeça de Gum, que subiu no terceiro andar e fez o terceiro gol tricolor.
A partir daí, o Maracanã enervou. O Fluminense passou a jogar mais dentro do campo de ataque, mas a reação ficou apenas no discurso e na vontade. Tudo por conta de um ato infantil de Fred, grande craque do time. Aos 30 minutos, o artilheiro deu uma leve cabeçada em Carlos Amarilla, indignado por uma falta marcada pelo árbitro paraguaio. O juizão não pensou duas vezes e expulsou Fred, para desespero da torcida.
Com igualdade em campo, o Fluminense perdeu o chão. A equipe se descontrolou e passou a reclamar mais da arbitragem do que jogar bola. A LDU teve uma chance de ouro com Méndez, aos 34 minutos. O equatoriano recebeu livre na entrada da área, mas, ao invés de fazer o básico, quis encobrir Rafael. O goleiro defendeu e salvou o Fluminense, que ainda tentou uma pressão final, mas não soube reverter a desvantagem.
Ficha Técnica
Fluminense 3 x 0 LDU
Local: Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro-RJ
Árbitro: Carlos Amarilla-PAR
Público: 69.565 torcedores (65.822 pagantes)
Renda: R$ 1.409.695,00
Cartões Amarelos: Gum e Mariano (Fluminense); Campos, Domínguez e Larrea (LDU)
Cartões Vermelhos: Fred (Fluminense); De la Cruz e Campos (LDU)
Gols: Diguinho aos 13’/1T, Fred aos 43’/1T, Gum aos 26’/2T (Fluminense)
Fluminense
Rafael; Mariano (Maurício), Gum, Dalton e Marquinho; Diogo (Raphael Augusto), Diguinho e Conca; Adeílson (Ruy), Alan e Fred.
Técnico: Cuca.
LDU
Domínguez; Norberto Araujo, Espínola e Campos; Reasco, De la Cruz, William Araujo, Calderón e Méndez; Walter Calderón (Larrea, depois Calle) e Bieler (Bolaños).
Técnico: Jorge Fossati.
 
 
" />