Globo expande polêmica e 'cutuca' Flamengo por conta da transmissão do Cariocão

Conglomerado de comunicação e Rubro-negro da Gávea não se entendem sobre o assunto

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 19 (AFI) - A polêmica entre Grupo Globo e Flamengo envolvendo os direitos de transmissão do Campeonato Carioca parece não ter fim, ainda mais depois da Medida Provisória assinada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

Durante a quinta-feira, o Mengão emitiu uma nota afirmando "que a partida desta quinta-feira (18), às 21h, poderá ser transmitida por quaisquer dos seguintes canais de televisão do Grupo Globo: TV Globo, Premiere (pay-per-view) ou Sportv. Depende somente da vontade da empresa".

O comunicado, porém, não foi bem recebido no conglomerado de comunicação, que se posicionou oficialmente durante o programa Troca de Passes, do SporTV, já quase na madrugada.

Foto: Divulgação - Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
"A Globo esclarece que o Campeonato Carioca foi cedido na vigência da lei que exigia concordância de ambos os clubes participantes do jogo para transmissão. A nova MP, ainda que seja aprovada pelo Congresso Nacional, não altera essa sessão já atualizada, que é um negócio jurídico perfeito e garantido pela Constituição Federal. A Globo não detém os direitos sobre os jogos do Flamengo e por isso não irá transmiti-los. Da mesma forma, o Flamengo não poderá transmitir qualquer um de seus jogos, ainda que seja mandante, porque a Globo é detentora dos direitos dos demais clubes participantes do Campeonato Carioca. Ainda que a Globo tivesse os direitos de transmissão do jogo de hoje, não haveria tempo hábil para planejar a segurança das equipes que realizam a transmissão, além do que não está claro que o protocolo proposto pela Ferj é, de fato, seguro".

Vale destacar que o artigo 42 da Medida Provisória 984/2020 afirma que "pertence à entidade desportiva mandante o direito de arena sob o espetáculo desportivo, consistente na prerrogativa exclusiva de negociar, autorizar ou proibir a captação, fixação, a emissão ou transmissão, a retransmissão ou a reprodução dos direitos de imagem, por meio ou processo, do espetáculo desportivo". No entanto, a interpretação é que ela não tem validade para competições atuais.