Justiça libera reabertura parcial do CT do Flamengo após tragédia

A Justiça do Rio autorizou, na decisão desta segunda-feira, que sejam reabertas a sede administrativa

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 11 - O Flamengo conseguiu nesta segunda-feira autorização judicial para voltar a treinar no Centro de Treinamento George Helal, conhecido como Ninho do Urubu, em Vargem Grande (zona oeste do Rio de Janeiro). O local foi parcialmente liberado pela Justiça, mas os alojamentos e outros setores continuam interditados.

Em 8 de fevereiro, o Ninho do Urubu foi palco de um incêndio em um alojamento, que matou dez atletas das categorias de base e deixou outros três feridos. A prefeitura do Rio, que já havia determinado a interdição do local outras vezes, sem efeito prático, em 27 de fevereiro interditou completamente o CT, que foi finalmente lacrado.

Desde então, os treinos foram transferidos para a sede da Gávea, na zona sul, que tem menos estrutura para os atletas profissionais.

O Ninho do Urubu foi parcialmente liberado pela Justiça após a tragédia que matou dez crianças
O Ninho do Urubu foi parcialmente liberado pela Justiça após a tragédia que matou dez crianças

O QUE PODE USAR
A Justiça do Rio autorizou, na decisão desta segunda-feira, que sejam reabertas a sede administrativa, mas sem acesso ao alojamento que fica no segundo andar; os campos, para prática esportiva; a academia, para curso de educação e cultura física; e o refeitório, para uso exclusivo de funcionários e sem que a comida seja preparada no local.

PARECER

"Tendo em vista que o autor comprovou ter cumprido todas as exigências do município para a obtenção de alvará de licença para estabelecimento, visando o funcionamento das áreas com atividades de baixo impacto (...), defiro o pedido subsidiário de tutela de urgência, autorizando o funcionamento exclusivo das áreas do CT, vedado o uso de quaisquer outros locais, sob pena de revogação desta decisão", escreveu o juiz.

A autorização para uso parcial do CT aconteceu no mesmo dia em que os atletas das categorias de base, de 14 a 17 anos, se reapresentaram, pouco mais de um mês após o incêndio. Entre os jogadores que se apresentaram estão dois dos sobreviventes do incêndio. O terceiro ainda está internado, mas apresenta boa evolução em seu processo de recuperação.