POLÊMICA! Adriano é fotografado com fuzil e integrantes do CV

por Agência Futebol Interior

Rio de Janeiro, RJ, 31 (AFI) - Após acertar sua ida à Roma-ITA, o atacante Adriano continua causando polêmica. Agora, o Imperador terá de comparecer ao 38° Distrito Policial, no Rio de Janeiro, que nesta segunda-feira, às 14 horas. Tudo para explicar seu suposto envolvimento com os traficantes do Morro do Cruzeiro.

Confira também:
Técnico chega e assina contrato com Real Madrid até 2014


O jogador é acusado de ter repassado uma verba para traficantes e terá de explicar as imagens publicada pelo jornal O Dia, desta segunda-feira, em que ele aparece com um fuzil na mão ao lado de supostos criminosos.

Em uma das fotos, ele está ao lado de um dos suspeitos de derrubar o helicóptero da PM, em outubro de 2009, onde três policiais acabaram mortos. Ele também teria comandado o crime que resultou na morte do ex-diretor de Bangu 3 José Roberto do Amaral Lourenço.

Em outra foto, Adriano faz o símbolo do Comando Vermelho, facção criminosa do Rio, com as mãos. A assessoria de imprensa do jogador soltou uma nota afirmando que o fuzil se trata de uma réplica usada para jogos de paintball.

Adriano já teve que prestar depoimento justificando, em abril deste ano, como uma moto no valor de 35 mil reais em seu nome foi parar com a mãe de Paulo Rogério de Souza Paz, o Mica, que comanda os morros da Chatuba, Fé, Sereno, Caracol e Caixa D’Água, todas na capital fluminense.