Catarinense: Hemerson Maria projeta reforços para o Figueirense na Série B

O cenário atual fez o treinador projetar a Série B do Campeonato Brasileiro, que já começa em abril

por Agência Futebol Interior

Florianópolis, SC, 13 (AFI) - Hemerson Maria é personagem principal na reconstrução do Figueirense. O time que terminou a última temporada brigando contra o rebaixamento e com salários atrasados para elenco e funcionários, começou 2019 invicto no Campeonato Catarinense e com todas as contas em dia. O cenário atual fez o treinador projetar a Série B do Campeonato Brasileiro, que já começa em abril. A ideia é contratar jogadores mais experientes para encorpar o elenco.

“O que posso falar é que estamos monitorando todos os campeonatos, tem uma equipe no Ceará que faz um ótimo estadual, o Atlético-CE, estamos observando. Sem quantificar, mas precisamos de jogadores com mais experiência e que venham agregar tecnicamente, não para fazer parte do grupo”. O atual elenco do Figueirense é recheado de jovens, a maioria deles entre 19 e 21 anos.

Um dos principais mercados deste primeiro semestre, o Figueirense também está de olho nos clubes eliminados na primeira fase do Campeonato Paulista: “Hoje a oferta é muito grande, até porque o Paulista faltam três rodadas somente, então vai haver uma corrida em busca dos melhores jogadores. São feitos contatos, mas a ideia para a Série B é aumentar um pouco a média de idade e ajudar os jovens a desenvolver o seu futebol”.

Hemerson Maria projeta reforços para o Figueirense na Série B
Hemerson Maria projeta reforços para o Figueirense na Série B

COPA DO BRASIL

Um dos principais fatores para a reconstrução financeira do Figueirense foi ter avançado na primeira fase da Copa do Brasil, garantindo a premiação que quitou a folha salarial do primeiro semestre – acabou eliminado para o Luverdense na segunda fase.

Hemerson Maria, ainda assim, valoriza o trabalho que vem sendo feito no clube, que no próximo domingo tem clássico marcado contra o Avaí na Ressacada, pelo Campeonato Catarinense.

“Eu sabia da situação do clube financeira, como o Figueirense terminou o ano passado. Quando cheguei aqui, o momento era pior que eu imaginava. Todos sabem, salários atrasados, perspectivas de um ano ruim.


Tivemos dificuldade para contratar jogadores, os que estão aqui acreditaram no projeto e na força da camisa.

Tínhamos uma perspectiva muito ruim. Hoje, o Figueirense está com os salários pagos para funcionários e atletas e o que está acontecendo é o efeito contrário, jogadores oferecidos.

Na Série B, queremos primeiro nos manter no bloco inicial e depois dar o pulo do gato. Figueirense não vai entrar favoritaço como nos últimos anos”, avaliou Hemerson Maria.