Brasileiro Feminino: Tatiele Silveira é a primeira técnica mulher a ser campeã

Desde que o Brasileiro Feminino mudou de formato, em 2013, apenas homens haviam levado equipes ao título.

por Confederação Brasileira de Futebol (CBF)

Araraquara, SP, 01 - Neste domingo (29), Tatiele Silveira se tornou a primeira técnica mulher campeã do Brasileiro Feminino A1. Ao vencer o Corinthians nos pênaltis, por 4 a 2, um novo capítulo da história da modalidade foi escrita.

PRIMEIRA MULHER

Desde que o Brasileiro Feminino mudou de formato, em 2013, apenas homens haviam levado equipes ao título. Em 2016, Emily Lima foi a primeira mulher a chegar a uma final como treinadora.

Na decisão de 2018, Dorotéia de Souza substituiu Chicão (suspenso nas finais) no comando do Rio Preto. Faltava o título de campeã que foi conquistado, neste ano, por Tatiele Silveira com a Ferroviária.

Espaço incorporado por HTML (embed)

REALIZAÇÃO DE UM SONHO

"É a realização de um sonho! É o primeiro ano que participo da primeira divisão do Campeonato Brasileiro e pude trabalhar com um grupo de jogadoras fantásticas".

"As meninas desde o início do trabalho foram muito comprometidas e a gente foi criando um corpo, uma conexão. Contemplamos essa temporada com o título, isso é único", destaca Tatiele.

CARREIRA

Gaúcha de 39 anos, Tatiele dedicou toda a sua vida ao futebol. Começou a carreira como jogadora no Internacional-RS. Foi no clube que deu os primeiros passos como treinadora.

Passou pela base do Inter, Grêmio, e também foi auxiliar-técnica de Luizão na Seleção Brasileira Feminina Sub-17. Em 2017/18, comandou a equipe principal do colorado gaúcho e, neste ano, iniciou o seu primeiro ano à frente da Ferroviária.

CONQUISTAS

A primeira treinadora mulher campeã do Brasileiro Feminino A1. (Foto: Jonatan Dutra / Ferroviária SA)
A primeira treinadora mulher campeã do Brasileiro Feminino A1. (Foto: Jonatan Dutra / Ferroviária SA)

Neste domingo, a treinadora colecionou dois feitos.

Além de ser a primeira mulher a comandar uma equipe ao título, foi o primeiro campeonato de expressão na carreira de Tatiele.

Em 2018, no comando do Internacional, foi eliminada na semifinal do Feminino A2 diante do Vitória-BA. Com a equipe colorada, conquistou o Gauchão.

MISSÃO CUMPRIDA

"Sensação de dever cumprido, ainda está caindo a ficha. É maluco você sair do Sul do Brasil, onde o futebol feminino ainda tem muito para evoluir em relação ao estado de São Paulo, comandar um clube como a Ferroviária".

"Que tem uma tradição enorme, e conseguir colocar as minhas ideias em prática. Ainda estou flutuando, mas espero comemorar muito com essa equipe e com a nossa torcida na cidade de Araraquara", ressalta.

TRAJETÓRIA

O caminho da Ferroviária até o título foi marcado por reviravoltas. Foram três decisões nos pênaltis, nas quartas de final, semifinal, e agora, na decisão.

A equipe comandada por Tatiele ainda enfrentou uma jornada de batalhas diante do Corinthians, no Brasileiro e no Campeonato Paulista.

COMPROMISSO

Entre os jogos da final do Feminino A1, a Ferroviária reencontrou o alvinegro na semifinal do estadual. A Ferrinha foi eliminada na última quarta-feira (25), após perder de goleada, por 9 a 1 (no agregado). Para o duelo decisivo da final do nacional, a técnica confessa que fez um pacto com a equipe.

"Sensação de dever cumprido, ainda está caindo a ficha". (Foto: Jonatan Dutra / Ferroviária SA)

"Quando recebemos esse calendário de jogos contra a equipe do Corinthians, que é um time muito forte, a gente fez a nossa estratégia e confiamos nela".

"As atletas confiaram em mim e abraçaram a ideia da comissão".

"Tivemos que escolher e fizemos a prioridade por já estar em uma final. Eu só tenho que agradecer as jogadoras e a minha equipe", conta Tatiele.

TÍTULO INÉDITO

Outro feito da Ferroviária neste domingo (29) foi a conquista do primeiro bicampeonato no Brasileiro Feminino A1. Até a edição deste ano, a competição só havia premiado equipes inéditas.