Série D: Perto da eliminação, Ferroviária demite PC de Oliveira

O treinador não conquistou vitórias em quatro rodadas da Série D e foi cortado nesta segunda-feira

por Agência Futebol Interior

Araraquara, SP, 14 (AFI) – A nova derrota para o Tubarão-SC no último domingo custou caro ao técnico PC de Oliveira, que foi demitido do comando da Ferroviária-SP na tarde desta segunda-feira. O anúncio oficial foi feito pela própria equipe de Araraquara através de seu site oficial. O assistente técnico do clube, Bruno Pivetti, comandará a equipe interinamente até o final do Campeonato Brasileiro da Série D.

A campanha da Ferroviária no torneio decepcionou. Em quarto partidas, o clube não venceu, empatando duas e perdendo outras duas. A Locomotiva fica na terceira colocação, com dois pontos ganhos. O desempenho sob o comando PC de Oliveira deixa o clube com chances remotas de classificação.

Perto da eliminação, Ferroviária demite PC de Oliveira
Perto da eliminação, Ferroviária demite PC de Oliveira
Sem chances de alcançar o Tubarão-SC, líder do Grupo A16, com 100% de aproveitamento, a Ferroviária precisa vencer os dois jogos restantes e torcer para que haja uma combinação de resultados que a deixe como um dos 15 melhores segundo colocados.

PC de Oliveira fez carreira no futsal, tendo comandado clubes brasileiros como Magunus e Corinthians, o Playas de Castellón, da Espanha, e a Seleção Brasileira da categoria. O treinador migrou para a Ferroviária em 2016, quando dividiu as atenções entre o clube e a Seleção Brasileira de futsal. A partir de 2017, treinou o clube do interior paulista na elite do Paulistão, por dois anos, na Copa Paulista, da qual sagrou-se campeão, garantindo vaga na atual Série D.

Após a derrota por 2 a 1 em casa para o Tubarão na última rodada, PC de Oliveira assumiu a responsabilidade do mau desempenho. "A insatisfação não é deles, é de todos nós. "Responsabilidade você não delega, você delega poderes. Os atletas estão ali cumprindo funções pré-estabelecidas pela comissão técnica e a responsabilidade vai ser sempre minha. Por isso a cobrança cai sempre em mim, o que é absolutamente normal e compreensivo".