Atacante começou no São Paulo, teve lesão, pensou em aposentar e agora brilha na Segundona

“Lesionei o joelho com 18 anos e fiquei um ano parado. Quando retornei aos treinos, machuquei o púbis", disse Murilo

por Federação Paulista (FPF)

Fernandópolis, SP, 13 (AFI) - Natural de Fernandópolis e artilheiro da Segundona Paulista, com 14 gols. Murilo Henrique está apenas no começo de sua carreira aos 21 anos de idade. O neto de Seu Erasmo –quando em vida, torcedor do Fernandópolis-, porém, já teve que superar momentos difíceis para continuar trilhando seu sonho. No entanto, hoje o atleta vive ótimo momento dentro e fora de campo, com gols, familiares e amigos presentes em sua vida.

Apesar de jovem, o atacante já coleciona uma série de títulos como Campeonato Paulista, Copa do Brasil, Libertadores, 2 Copas Ouro, Copa RS e Brasileiro de Aspirantes, todos jogando pela categoria de base do São Paulo. Entre tantas conquistas, a principal delas é o poder de superação.

“Lesionei o joelho com 18 anos e fiquei um ano parado. Quando retornei aos treinos, machuquei o púbis por conta do joelho, ficando mais cinco meses parado. Depois disso, quando voltei a jogar, continuei sentindo dores no joelho, o que me atrapalhava bastante”, disse o atleta em entrevista exclusiva ao portal da Federação Paulista de Futebol.

MOMENTO DELICADO
Em julho de 2016, em uma partida entre São Paulo e Internacional, pelo Campeonato Brasileiro Sub-20, Murilo rompeu o ligamento do joelho direito, ao tentar pular um carrinho do adversário. Ficou sem treinar até abril de 2017 e voltou a jogar novamente só em agosto deste mesmo ano, quando começou a sentir dores no púbis.

FORA DE COMBATE
Ficou de fora de suas atividades por mais seis meses, retornando aos gramados em fevereiro de 2018. Nessa época foi emprestado ao Cianorte, do Paraná, e disputou o campeonato estadual. Porém, seu joelho não estava totalmente recuperado e, por conta disso, acabou não disputando o Campeonato Brasileiro Série D. Ao voltar para o São Paulo, conseguiu ter sequência de jogos e ganhou o Brasileirão Sub-23.

APOSENTADORIA?
Com constantes dores no joelho, o atual artilheiro chegou a acreditar que sua carreira terminaria. Entretanto, Murilo foi emprestado ao Fernandópolis, time de sua cidade natal, no início deste ano para disputar o Campeonato Paulista Segunda Divisão.

“Em 2016 fiz a cirurgia no joelho e depois dela nunca consegui jogar em alto nível de novo. Sofria com as dores todos os dias. Então, eu tinha na cabeça que quando terminasse o meu contrato com o São Paulo, iria parar. Mas recebi uma proposta daqui e achei que era uma boa oportunidade, por estar perto da minha família e amigos”, revelou.

GRANDE MOMENTO
Em boa fase pelo atual clube, o atacante acredita que está vivendo o melhor momento de sua carreira até aqui. Se antes estava desmotivado, por conta de suas lesões e falta de sequência em jogos, agora está feliz e próximo de pessoas importantes.

“Eu estava muito desmotivado e vim para o Fernandópolis recuperar meu futebol. Estou perto de familiares e amigos, que vão assistir aos jogos. Inclusive, tenho dois amigos que são da torcida. Meu avô, Erasmo, que é falecido, também torcia muito para o Fernandópolis”, diz o atacante.

RELAÇÃO POSITIVA
Além de estar em casa, outro fator também tem sido decisivo para o bom momento do atleta: a relação com o treinador Junior Paulista é muito boa e supera o limite das quatro linhas.

 Foto: João Leonel/Fernandópolis  -  Foto: João Leonel/Fernandópolis
Foto: João Leonel/Fernandópolis
"É um treinador fora de série, dentro e fora de campo. Sempre apoiando os moleques, brigando por nós em todos os momentos. Nesse tempo que estou aqui, a minha noiva fez amizade com a mulher dele, então a gente criou uma amizade também”, explicou.

COMO ESTÁ?
O Fernandópolis é o segundo colocado do Grupo 14, com sete pontos. No próximo domingo (15) enfrenta o atual líder Guarulhos, podendo garantir vaga para a próxima fase da Segunda Divisão do Paulista. Para isso, a equipe espera contar com Murilo, seus gols e seu espírito de superação.

Mateus Bezerra, Especial para a FPF