Segundona: Após prisões, empresário assume Fernandópolis e evita possível WO

Nessa quinta-feira (05) foi realizada uma reunião para encontrar um futuro para o Fefece no estadual

por Agência Futebol Interior

Fernandópolis, SP, 05 (AFI) - A semana do Fernandópolis foi bastante complicada com as prisões do presidente Oclécio Dutra e o vice Ricardo Saravalli por conta da Operação Vagatomia da Polícia Federal (PF) de Jales, aliado a má fase financeira da equipe. Apesar disso, na tarde desta quinta-feira (05) houve uma reunião para encontrar uma esperança para a sequência do Campeonato Paulista da Segunda Divisão.

Participaram dessa reunião, que foi realizada na Câmara Municipal de Fernandópolis, vereadores Ademir de Almeida - presidente da Câmara Municipal e presidente do Conselho Deliberativo do Clube -, Baroni e Salvador de Castro, além de Cássio Araújo, Fred Jorge, Viriato, gerente de futebol do Fefecê, Adriano segurança do time, Everton responsável pela bilheteria, e o empresário Junior Deto.

Empresário Junior Deto juntamente com o presidente da Câmara Ademir de Almeida
Empresário Junior Deto juntamente com o presidente da Câmara Ademir de Almeida

Após horas de conversa, ficou decidido que o empresário Junior Deto irá ficar a frente da diretoria da equipe até a próxima terça-feira (10) para evitar um possível WO ou uma desistência da competição estadual. Com isso, essa nova cupula afirmou que colocará como objetivo um jogo de cada vez.

Com o risco de WO afastado, o Fefecê entra em campo neste domingo (08) quando recebe o São José, às 10h, no Estádio Claudio Rodante. Após três rodadas, o time da casa aparece em terceiro com quatro pontos e os visitantes vem a frente, com cinco, em primeiro, empatado com o Guarulhos.