Colômbia 2 x 0 Uruguai - O 'Maracanazo' 64 anos depois

A Colômbia soube mostrar a sua superioridade no futebol e o Uruguai sentiu muito a falta de Suárez no ataque.

por Lucas Moron - Campinas

Rio de Janeiro, RJ, 28 (AFI) – 64 anos depois o Uruguai voltou para o Maracanã e viu a vitória por 2x0 da Colômbia. A vitória levou os colombianos até a histórica quartas de final. Os dois gols de James ‘Cebola’ Rodríguez, um deles o mais bonito do Mundial, o deixou na artilharia da Copa do Mundo isolado, com cinco gols.

Na volta ao gramado do Maracanã, o Uruguai não soube fazer jus a história de 1950 e perdeu o jogo, e pior, jogou muito mal. Pela primeira vez viu o adversário marcar o primeiro gol da partida e não soube como reagir a bela atuação de ‘Cebola’.

O JOGO

O encontro começou muito nervoso e o árbitro teve que mostrar serviço desde o começo. Com algumas faltas já no início, os jogadores ensaiaram reclamações e o juiz holandês controlou bem a situação. Na sequência do jogo, o Uruguai colocou os onze jogadores atrás da linha da bola e deu à Colômbia a posse de bola, que chegou a ficar em 71%.

Os colombianos arriscavam para o gol com Cuadrado, que mantinha o nível das ultimas atuações e vinha muito bem na partida. Em uma bola enfiada, James Rodríguez fez um dos gols mais bonitos da Copa. Aguilar escora de cabeça e o camisa 10 domina a bola no peito, gira e bate forte pro gol, de fora da área. A bola toca no travessão e entra pelas traves de Muslera. Uma pintura no Maracanã.

Com o gol, os uruguaios se viram em uma situação inédita nessa Copa: o placar desfavorável já no começo do jogo. E tiveram que se lançar para o campo de ataque - apesar da derrota para a Costa Rica na Fase de Grupos, o Uruguai fez o primeiro gol da partida em Fortaleza e depois sofreu a virada.

Os torcedores presentes no Maracanã demonstravam a raiva pelo episódio de Suárez, e cantavam muito. O Uruguai cresceu em campo e Cavani mostrou que também pode ser decisivo. Aos 32 minutos, o craque cobrou uma falta com qualidade e a bola passou próxima do travessão do gol defendido por Ospina.

O melhor jogador da ultima Copa, Forlán também roubou a atenção quando deu um encontrão em Yepes, de ombro. O árbitro paralisou o jogo e pediu calma aos jogadores. O substituto de Suárez vinha fazendo uma partida regular, com toque de bola e lançamentos de qualidade.

No Uruguai, a rua do uruguaio Suárez estava em ‘festa’. Tinha telão e até venda de café. Em campo, o jogo foi se encaminhando para o fim da primeira etapa com a vitória colombiana. Com o apito do árbitro, os times foram para o vestiário e a Colômbia mostrou nos números que dominava o jogo. Foram sete finalizações contra cinco uruguaias.

Na volta para o campo, o jogo já começou movimentado. Perdido em campo, o Uruguai não sabia o que fazer com a bola no pé. Logo aos cinco minutos, Armero recebeu a bola sozinho na ponta esquerda, dominou, olhou pra área e cruzou. A bola chegou na cabeça de Cuadrado, que ajeitou pra trás, pro artilheiro da Copa, ‘Cebola’ Rodríguez faz o segundo da Colômbia e do jogo.

Com o segundo gol, Óscar Tabarez promoveu mais duas substituições. Tirou Fórlan pra entrar o atacante Stuani, e arrumou a lateral, com a saída do voluntarioso Álvaro Pereira para a entrada de Ramírez. Com a mudança, Cáceres voltou para a sua posição de origem, na lateral esquerda.

Com as mudanças o time uruguaio partiu pra cima, a procura do gol. Óscar lançou o time principalmente pelas laterais, e alçando bolas na área chegou a assustar os torcedores colombianos algumas vezes. Pelo lado da Colômbia, Armero era o caminho para as jogadas, com ‘Cebola’ Rodríguez mais centralizado.

A torcida brasileira presente – em grande número – no estádio gritava bem alto “ELIMINADO” e os uruguaios respondiam, chegando até a alertar os seguranças do estádio. A insegurança da torcida passou para o campo. E em um lance que Armero sentiu cãibras e tocou a bola para fora, Ramírez chegou forte no lance e literalmente agrediu o jogador. Na reclamação sobrou para Lugano, no banco de reserva, tomar seu segundo amarelo. Armero também foi advertido.

O Uruguai continuou indo pra cima do gol de Ospina, arriscando principalmente com bolas levantadas na área. Cavani mostrava-se com muita vontade. Mas não tinha mais o que fazer, o jogo era mesmo colombiano. Era o fim da festa celeste, que já não tinha mais o que fazer com a superioridade colombiana em campo. Com a vitória, a Colômbia fez história e chega pela primeira vez até as quartas de final da Copa do Mundo.

SEM SUÁREZ

Os uruguaios demonstraram em campo a falta do artilheiro lá na frente. Sem Suárez, com uma suspensão de 4 meses longe do futebol, o futebol do Uruguai ficou magoado com tudo o que aconteceu nessa última semana. Perdeu seu principal atacante e fim da festa celeste no Brasil, que depois de 64 anos deixa a Copa das Copas ainda nas oitavas de final.

O ARTILHEIRO

Com o gol de James 'Cebola' Rodríguez, o jogador tornou-se artilheiro isolado da Copa do Mundo, com cinco gols, e vai enfrentar o Brasil de Neymar - com quatro gols - na próxima fase. Um dos gols do meia foi o mais bonito do Mundial, até agora.

PRÓXIMO JOGO

Sexta-feira, às 17h, a Colômbia enfrenta pela primeira vez em sua história um confronto de quartas de final da Copa do Mundo. Contra o Brasil no Castelão, Ceará, a seleção de José Pekerman tenta fazer história contra os donos da casa.

FICHA TÉCNICA

COLÔMBIA 2 X 0 URUGUAI

COLÔMBIA: Ospina; Armero, Yepes, Zapata, Zuniga; Aguilar, Sánchez, Cuadrado (Guarin), James Rodríguez (Ramos); Jackson, Teo Gutiérrez (Mejía). Técnico: José Pekerman

URUGUAI: Muslera; Cáceres, Giménez e Godín; Maxi Pereira, Arévalo Rios, González (Hernandez), Rodríguez e Álvaro Pereira (Ramírez); Forlán (Stuani) e Cavani. Técnico: Óscar Tabárez

GOLS: James Rodríguez aos 28’ e 50’

CARTÕES AMARELOS: Giménez, Lugano (Uruguai); Armero (Colômbia)

CARTÕES VERMELHOS:

ÁRBITRO: Bjorn KUIPERS (NED)

ASSISTENTES: Sander VAN ROEKEL (NED) e Erwin ZEINSTRA (NED)

PÚBLICO: 73.804 pessoas.

RENDA: Não disponível

LOCAL: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ).

aaa