Dérbi 196: Torcida do Guarani promete e cumpre: lota frente do Brinco de Ouro

Perto de cinco mil bugrinos foram ao Brinco de Ouro, com portões fechados devido a epidemia de coronavírus

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 16 (AFI) – A torcida do Guarani prometeu e cumpriu: lotou as ruas próximas aos portões principais do estádio Brinco de Ouro, antes do Dérbi 196, que fechou nesta segunda-feira à noite a 10.ª rodada do Campeonato Paulista. Alguns bandeirões se destacavam entre quase cinco mil torcedores.

A maior concentração foi na Avenida Imperatriz Tereza Cristina, começando do Queijo (praça Emílio Porto) e indo até o outro lado quarteirão na Avenida Guarani, passando pelas bilheterias externas do portão principal. Como de costume também ficou cheia o trecho da rua Roberto Gomes Pedrosa. Lá tinha um telão para os torcedores acompanharam o jogo.

Torcedores bugrinos superlotam as ruas perto do Brinco de Ouro
Torcedores bugrinos superlotam as ruas perto do Brinco de Ouro

DENTRO DO BRINCO
Até mesmo na parte interna do Brinco a torcida marcou presença. Um bandeirão foi estendido nas arquibancadas do lado dos portões principais (à direita das vitalícias).

Nas muretas de proteção do fosso, abaixo do Tobogã, estava faixas horizontais em cima da mureta. Uma delas com referência à TORCIDA JOVEM e outra para HOJE E SEMPRE GUARANI, grupo de associados bugrinos.

DO ALTO
Por cima, dois drones foram avistados, além de uma helicóptero da Polícia Militar que fez imagens aéreas com imagens inéditas de um Dérbi com o estádio totalmente vazio devido a epidemia de coronavírus.

Mas já no intervalo muita gente pegou o caminho de casa depois que a Ponte Preta abriu 2 a 0 ainda no primeiro tempo, com gols de Alisson, de cabeça, e Roger, de pênalti.

FOGOS E CONFRONTO
Mas o resultado, é claro, deixou a torcida bugrina insatisfeita. Houve um princípio de tumulto, vários rojões foram disparados e os policiais militares entraram em ação. Houve confrontos com os torcedores mais exaltados e a PM respondeu com muitos casetadas e bombas de gás, sentidos inclusive por moradores da redondeza.