Jogadores de clube da Série B são acusados de assédio, difamação, injúria e perturbação

Trio foi denunciado por jovem de 20 anos e terá que dar explicação na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, em Cuiabá

por Agência Futebol Interior

Cuiabá, MT, 07 (AFI) - Júnior Todinho, Gilmar e Paulo Henrique, todos jogadores do Cuiabá, terão que dar explicação na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, na capital do Mato Grosso, após uma jovem, de 20 anos, registrar boletim de ocorrência contra o trio por assédio sexual, difamação, injúria e perturbação da tranquilidade. O caso teria ocorrido no último sábado.

"O Sr Paulo Henrique, o qual algumas vez ficou com ele, proferiu alguns xingamentos contra a comunicante, segurou em seu braço e a empurrou; que os seus colegas Sr. Gilmar José da Silva e Sr. Geremias Ribeiro Júnior [Júnior Todinho], tentaram beijar a comunicante a força por várias vezes, que a seguraram pelo braço, que pegaram no seu seio e nas suas nádegas. Em outro momento eles a encurralaram em um canto escuro e os dois tentaram beijá-la de novo, mas ela conseguiu escapar", diz o Boletim de Ocorrência.

O crime teria ocorrido em uma festa no Bairro Parque Residencial Tropical Ville, em Cuiabá. Os três estavam de folga após a vitória, por 2 a 0, sobre o líder Bragantino na sexta-feira, 1º de novembro.

Júnior Todinho encrencado. (Foto: AssCom Dourado)
Júnior Todinho encrencado. (Foto: AssCom Dourado)

SILÊNCIO!
O clube ainda não se manifestou a respeito. Júnior Todinho e Gilmar não estiveram em campo na goleada do Cuiabá, por 5 a 1, sobre o CRB na última terça-feira. Os dois são titulares, enquanto Paulo Henrique é o terceiro goleiro do Dourado.

Com o resultado da 33ª rodada, o Cuiabá se livrou do rebaixamento e estacionou na 10ª colocação com 47 pontos. O próximo desafio será ante o lanterna São Bento na sexta-feira, às 21h30, no Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba, pela 34ª rodada.

MAIS DENÚNCIAS!
A Série B teve outras polêmicas. Na terça-feira, por exemplo, a estudante de jornalismo Milena Oliveira chegou a ser assediada por uma cidadão enquanto tirava algumas fotos para o site no qual trabalha durante a vitória do Operário, por 1 a 0, sobre o Criciúma em Ponta Grossa.

Milena Oliveira não se calou. (Foto: Reprodução)
Milena Oliveira não se calou. (Foto: Reprodução)

Ela foi chamada diversas vezes de 'gostosa' durante o jogo e viu o assédio aumentar após confrontar o mesmo. O senhor só parou de proferir tais ofensas após discussão com outros fotógrafos. Milena Oliveira também se viu ofendida por atitude de outros torcedores, que proferiram palavras preconceituosas.

TÉCNICO NO PAREDÃO!

O primeiro envolto em denúncias foi o técnico Milton Mendes, demitido do São Bento. Uma funcionária do hotel onde Milton Mendes morava em Sorocaba acusa-o de tentativa de estupro. Segundo o Boletim de Ocorrência, a funcionária relatou que o treinador insistiu em dar um bilhete com o número do telefone e um pedido para sair. Ela ainda colocou no documento que Milton Mendes a abraçou à força e esfregou as partes genitais em seu corpo, a roubando um beijo.

Primeiro caso foi de Milton Mendes. (Foto: Paulo Fernandes)
Primeiro caso foi de Milton Mendes. (Foto: Paulo Fernandes)

"Eu beijo meus jogadores! Morava no hotel há dois meses e você estabelece hábitos. Tudo com educação e respeito. Recepção, faxina, garçons, pessoas simples, todos merecem um tratamento bom. E assim sou e parece que esta senhora que me denunciou, não entendeu assim. Mas as câmeras mostram que não há nada e isso vai esclarecer este caso, que foi muito divulgado sem que me dessem direito igual de espaço. Espero que o mesmo ocorra quando sair a definição da verdade do caso", rebateu o treinador.