Ídolo ingressa na Justiça e pede R$ 35 milhões do Cruzeiro

Ele, porém, teve o pedido negado pelo juiz Marco Antônio Ribeiro Muniz Rodrigues da 48ª Vara do Trabalho

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 11 (AFI) - Nem mesmo a idolatria que tem dentro do Cruzeiro impediu o zagueiro Dedé de entrar na Justiça contra o clube mineiro e pedir a bagatela de 35.258.058,64. O jogador, que está lesionado e não atua há tempos, teve o pedido negado pelo juiz Marco Antônio Ribeiro Muniz Rodrigues da 48ª Vara do Trabalho.

Dedé, em sua ação, alega estar com dez meses de salários atrasados que daria R$ 300 mil "referente ao fraudulento contrato de cessão e uso de imagem". Ele ainda cobra seis meses de salários fixos na carteira, cerca de R$ 450 mil mensais, e quatro meses sem FGTS. Há ainda cobrança de 13º atrasado (R$ 1,032 milhão) e férias (R$ 1.045.333,32).

Briga feia na Justiça. (Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro)
Briga feia na Justiça. (Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro)
ELE QUER MAIS!
Como se isso não bastasse, o xerifão também cobra do Cruzeiro R$ 10,5 milhões a título de cláusula compensatória. A defesa de Dedé também quer R$ 3,75 milhões por danos morais. No processo há inúmeras declarações de dirigentes.

"Ele ganhou mais de 50 milhões de reais sem jogar e se vender não vende, primeiro que ele é todo f... e não passa no exame médico", esse de Wagner Pires de Sá, ex-presidente do Cruzeiro, é a que mais chama a atenção.

Dedé não atua pelo Cruzeiro desde o fim de 2019. Ele passou por cirurgia no joelho, tentou se recuperar de forma particular, mas não jogou mais. Agora, entre em rota de colisão com o clube e com a torcida.