Com salários atrasados, jogadores do Cruzeiro não concentram antes de jogo

Cruzeiro não paga seus atletas há dois meses e meio, além do 13°

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 13 (AFI) - Só foi o Cruzeiro ficar sem chance de subir para a crise estourar na Toca da Raposa. O mais novo problema foi a não concentração dos jogadores, irritados pelos atrasos salariais. A Raposa enfrentará o lanterna Oeste nesta quarta-feira, às 21h30, no Independência, em Belo Horizonte, pela 34ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

Em protesto, os jogadores não ficaram na Toca da Raposa e foram para suas casas. Eles se reapresentarão nesta quarta-feira para o jogo contra os paulistas. A decisão foi tomada em conjunto por todo o elenco, sob a batuta dos mais experientes.

Abacaxi para Sérgio Santos e Mazzuco. (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
Abacaxi para Sérgio Santos e Mazzuco. (Foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
O Cruzeiro não paga seus atletas há dois meses e meio, além do 13°. O elenco até se reuniu com o presidente Sérgio Santos Rodrigues e o diretor de futebol André Mazzuco, mas os dirigentes não deram previsão sobre os pagamentos e a resposta veio na sequência com a não concentração.

CRISE!
O atraso salarial tem irritado o técnico Luiz Felipe Scolari. Uma das reivindicações de Felipão para seguir no Cruzeiro era que os salários estivessem em dia. Não por acaso, ele ameaça deixar o barco. Ainda nesta semana, o zagueiro Dedé e o volante Jadsom Silva entraram na Justiça contra o clube por causa das pendências financeiras. Já o atacante Arthur Caíke foi vendido ao Kashima Antlers, do Japão.

Sem perder há dois jogos após ter batido o Sampaio Corrêa (1 a 0), o time celeste chegou aos 44 pontos, a oito do G4.