Cruzeiro tenta tirar técnico do líder, ouve "não" e volta a sonhar com ex-Seleção

Marcelo Chamusca se juntou a Lisca, Luiz Felipe Scolari e Umberto Louzer que também falaram "não" ao time mineiro

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 15 (AFI) - Se quem faz três gols pode pedir música, quem leva "não" de quatro técnicos pode pedir o quê? O Cruzeiro tentou tirar Marcelo Chamusca, do Cuiabá, líder da Série B do Campeonato Brasileiro, segundo o ge, mas recebeu nova negativa que se juntam a de Lisca - do América-MG -, Luiz Felipe Scolari e Umberto Louzer - da Chapecoense.

O diretor de futebol Deivid fez uma proposta para Chamusca através do seu empresário. O Cruzeiro daria um aumento substancial ao treinador e ainda firmaria contrato até o fim do ano que vem. Nada, porém, que pudesse seduzir o treinador do Dourado.

A Raposa, no entanto, ainda não desistiu de ter um substituto para Ney Franco. Em busca do seu terceiro treinador para a Série B e do quarto na temporada, a diretoria mineira voltou com carga total ao nome de Felipão, pentacampeão com a Seleção Brasileira em 2002 e técnico do 7 a 1 em 2014.

"Não" para o Cruzeiro! (Foto: Ascom / Dourado)
REUNIÃO!

Segundo Paulo Vinícius Coelho, Cruzeiro e Felipão deverão se reunir ainda nesta quinta-feira, mesmo o experiente treinador já tendo negado a primeira proposta. Felipão esteve no Cruzeiro em 2000 e 2001 e foi campeão da Copa Sul-Minas.

O Cruzeiro amarga a vice-lanterna da Série B com apenas 12 pontos. O próximo desafio será na sexta-feira, às 21h30, contra o Juventude no Mineirão pela 16ª rodada. Sem técnico, a Raposa será comandada pelo auxiliar Célio Lúcio, integrante da comissão fixa do clube. O preparador físico Rodrigo Saar também dará suporte.