Série B: Casa de ex-presidente do Cruzeiro é pichada e atacada com bombas

"Estão tentando encontrar um culpado para tudo de ruim que está acontecendo com o Cruzeiro, mas essa culpa não é minha"

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 09 (AFI) - Mesmo fora do Cruzeiro, o ex-presidente Gilvan Pinho Tavares, entre 2012 e 2017, está sofrendo com a situação da Raposa. Na madrugada desta sexta-feira, sua casa foi alvejada com bombas e pichada. O local possui câmeras de segurança e as imagens serão enviadas à Polícia Militar.

"Todo mundo ficou apavorado. Jogaram bomba, quebrou telha. Agora, a vizinhança deve contratar uma vigilância para fazer a segurança. Foi tudo gravado pelas câmeras de segurança. Nós comunicamos a Polícia Militar, as imagens são muito nítidas. Isso não pode ficar impune. Estão colocando a vida de pessoas em risco", disse Gilvan, em entrevista ao site Superesportes.

MOTIVO DA AÇÃO

Gilvan afirmou que a fala do atual presidente Sérgio Santos Rodrigues pode ter motivado a atitude. Isso porque Sérgio fez duras críticas à gestões anteriores.

"Provavelmente, foi a fala do Sérgio que motivou essa reação da torcida. Estão tentando encontrar um culpado para tudo de ruim que está acontecendo com o Cruzeiro, mas essa culpa não é minha. Decepção total com a torcida e com o que os dirigentes estão falando de mim", lamentou.

"POR QUE NÃO PAGARAM AS DÍVIDAS?"

"Eu também recebi o Cruzeiro com dívidas. Quase caímos para a Segunda Divisão em 2011. Salvamos o Cruzeiro na última rodada com a goleada por 6 a 1 sobre nosso rival. Depois, conseguimos títulos importantes. Em 2019, venderam o Arrascaeta. Por que não pagaram as dívidas com esse dinheiro? Eu também tive que vender o Montillo em 2013 para pagar dívidas", acrescentou.

SITUAÇÃO NA SÉRIE B

Com duas derrotas seguidas, o Cruzeiro está no Z4 do Campeonato Brasileiro Série B, em 18º lugar com 11 pontos. A próxima partida será no domingo, às 16h, diante do Oeste, em Barueri. A equipe está concentrada em Atibaia (SP) na tentativa de blindar o elenco e resgatar o emocional dos atletas.

Após a derrota do Cruzeiro, por 2 a 1, para o Sampaio Corrêa, os torcedores 'lotaram' as redes sociais. Muitos exigiram a saída do técnico Ney Franco, sendo um dos assuntos mais comentados.