Após derrota do Cruzeiro, Fábio dispara: "Os que erraram já saíram"

A Raposa perdeu para o Sampaio Corrêa, nesta quinta, em pleno Mineirão

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 08 (AFI) - A noite era do goleiro Fábio. Ele completou 900 jogos com a camisa celeste, mas o final não foi feliz. O Cruzeiro perdeu mais uma na Série B do Campeonato Brasileiro. Desta vez, pelo Sampaio Corrêa, por 2 a 1, em pleno Mineirão, pela 14ª rodada.

Na saída do gramado, desabafou. Indagou os responsáveis por deixar o clube nesta situação e deixou claro que tem feito de tudo para honrar a agremiação que defende por 16 anos.

NEY FRANCO NÃO ADMITE FALAR EM LUTA CONTRA SÉRIE C

Fábio ainda mencionou a pressão que o Cruzeiro vem sofrendo dos torcedores, que chegaram a invadir a sede do clube horas antes do confronto diante do Sampaio Corrêa. O goleiro, bem realista, deixou claro que o vandalismo não resolve nada e que todos estão no mesmo barco.

"Respeito muito o torcedor. Sou cobrando em todos os lugares. Sei a dor o que o torcedor está sentindo. O Cruzeiro faz parte da minha vida há 16 anos. Está colhendo o que plantou. Somos funcionários. O que posso fazer, eu faço. Sabíamos desde janeiro que não seria fácil. O torcedor está querendo resultado", falou o goleiro, antes de completar.

PUNIÇÃO FIFA!
"Os títulos escondem muitas coisas. Está estourando em quem está aqui no Cruzeiro, quem abriu mão de muita coisa. Os que fizeram coisas erradas já caíram fora. A responsabilidade caiu em cima de nós, nos meninos que estão subindo.

Estou aqui de perto aberto querendo o melhor para o clube. Não adianta ficar quebrando o portão. Quem não pagou a Fifa? Quem perdeu seis pontos? A realidade é essa e estamos aqui nos matando", disse.

Fábio completou 900 jogos pelo Cruzeiro
Fábio completou 900 jogos pelo Cruzeiro

Fábio relembrou dos seis pontos perdidos pelo clube na Série B por conta de uma dívida com o Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos. O Cruzeiro ainda tem outros débitos com a Fifa que o impedem de registrar novos atletas.

SITUAÇÃO!
O goleiro ainda comentou sobre os 900 jogos com a camisa celeste.

"Marca difícil de ser batida. São 16 anos de luta, entrega, superação e trabalho. Hoje, infelizmente, terminamos com resultado negativo. Tem coisas que não conseguimos explicar. Precisamos trabalhar e reverter essa situação", finalizou.

A derrota deixou o Cruzeiro na 18ª colocação, com 11 pontos, a três de deixar a zona de rebaixamento.