Técnico do Cruzeiro lamenta: 'Estamos pagando uma conta que não é de agora'

Cruzeiro fora das semifinais é algo raro na história do Estadual. A última vez que isso aconteceu foi em 1957.

por Agência Estado

Poços de Caldas, MG, 30 (AFI) - O técnico Enderson Moreira evitou assumir a responsabilidade pela queda precoce do Cruzeiro no Campeonato Mineiro, mas não deixou de lamentar mais uma decepção protagonizada pela equipe, rebaixada para a Série B do Campeonato Brasileiro no fim do ano passado. Nesta quarta, o Cruzeiro venceu a Caldense por 1 a 0, placar insuficiente para buscar a vaga nas semifinais.

CONFIRA PALAVRAS DO TÉCNICO


ELIMINAÇÃO RARA
O time da capital precisava vencer por três gols de diferença para obter a classificação no Estádio Ronaldão, em Poços de Caldas, em duelo válido pela 11ª rodada, a última da fase classificatória. A queda do Cruzeiro antes das semifinais é algo raro na história do Estadual. A última vez que isso aconteceu foi em 1957.

"Para o Cruzeiro não importa onde começar, mas onde terminar. É apenas o início da temporada, em circunstâncias anormais por causa desta pandemia, mas tenho que enaltecer a disposição de

Raposa não ficava fora das semifinais desde 1957
Raposa não ficava fora das semifinais desde 1957

todos os jogadores. Nós estamos pagando uma conta que não é de agora", explicou o técnico cruzeirense.

VOLTA PARA A SÉRIE A
Para Enderson Moreira, o mais importante ao clube neste ano vai ser a disputa e o acesso para a Série A.

"O Campeonato Mineiro é importante, tem bons clubes, mas não se pode admitir uma mudança de mando de campo como aconteceu com a Caldense.

Ela fez seus dois últimos jogos em casa. Mas o time é bom, ganhou jogos importantes e tem seus méritos", criticou Moreira, referindo-se à penúltima rodada, quando a Caldense recebeu o Tupynambás e goleou por 4 a 0.