Copa do Brasil: Sem Arrascaeta, Mano fecha treino e faz mistério no Cruzeiro para 1ª final

No comando do ataque, o argentino Barcos é o que tem mais chance de iniciar a partida. Mas há muitas opções ofensivas

por Agência Estado

Belo Horizonte, MG, 9 - O técnico Mano Menezes manteve o suspense e não revelou a escalação do time do Cruzeiro para o primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil, diante do Corinthians, nesta quarta-feira, no Mineirão. O uruguaio Arrascaeta, com a seleção uruguaia, está fora. No comando do ataque, o argentino Barcos é o que tem mais chance de iniciar a partida.

Como tradicionalmente ocorre na véspera de jogos importantes do Cruzeiro, a imprensa não pôde acompanhar as atividades dos jogadores e as orientações do treinador. Nem ocorreu a tradicional entrevista coletiva, já que Fábio havia falado horas antes, no Mineirão.

Barcos deve ser mantido no comando de ataque, mas há outras opções ofensivas para Mano Menezes
Barcos deve ser mantido no comando de ataque, mas há outras opções ofensivas para Mano Menezes

SÃO TRES OPÇÕES
Para o lugar de Arrascaeta, convocado para defender a seleção uruguaia em amistosos contra Coreia do Sul e Japão, nos dias 12 e 16 - respectivamente -, Mano Menezes deve escalar Rafinha. Mas David e Rafael Sobis também são considerados boas alternativas.

Barcos tem atuado como centroavante, mas o jogador não é unanimidade. Sassá, que tem feito gols importantes, é outra opção. Raniel, que é considerado um xodó da torcida, deve ser opção no banco, ao lado de Fred, que ficou seis meses sem jogar por causa de uma lesão no joelho e só retornou contra o Palmeiras, em 30 de setembro.

Assim, a tendência é que o Cruzeiro entre em campo com a seguinte formação: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Rafinha, Thiago Neves e Robinho; Barcos.

POR OUTRO TÍTULO
Garantido no time, Edilson tenta manter uma sequência de títulos importantes na carreira. O lateral-direito foi campeão brasileiro pelo Corinthians em 2015, da Copa do Brasil (2016) e da Libertadores (2017) pelo Grêmio.

"Trabalho sempre com esse objetivo, mas o algo a mais nessa questão foram as escolhas que fiz na carreira. Assim como nas equipes anteriores, escolhi vir para o Cruzeiro pelo projeto ambicioso de conquistar grandes títulos e ficar marcado na história do Clube para sempre.", disse, ao site oficial do Cruzeiro.

SEXTO CONFRONTO
Esta será a sexta vez que o Cruzeiro vai encarar o Corinthians na história da Copa do Brasil. Nos cinco primeiros encontros, o time mineiro tem uma leve vantagem. São três classificações (1996, 1998 e 2016) contra duas da equipe paulista (1991 e 2002).

No total de dez jogos, o Cruzeiro soma três vitórias contra cinco do rival e dois empates. A artilharia cruzeirense marcou 20 gols e a defesa sofreu 18.

 
 
" />