Cruzeiro pode fazer uma opção alternativa com Léo Condé ou Dado Cavalcanti para vaga do "desfocado" Luxemburgo

Dentro deste estilo, aparecem com força dois nomes: Léo Condé, atualmente no Sampaio Corrêa, e Dado Cavalcanti, no Paysandu.

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 31 (AFI) – Adilson Batista ou Mano Menezes? São dois nomes cotados para assumir o Cruzeiro no lugar de Vanderlei Luxemburgo, na conhecida rotina seguida pelos ultrapassados dirigentes do futebol brasileiros. Mas há uma chance de que a história seja mudada pelos lados da Raposa, com o acerto com algum técnico mais jovem, com ideias novas e práticas e que saibam trabalhar com jovens promessas. Dentro deste estilo, aparecem com força dois nomes: Léo Condé, atualmente no Sampaio Corrêa, e Dado Cavalcanti, no Paysandu.

Léo Condé: quinto lugar com Sampaio na série B
Léo Condé: quinto lugar com Sampaio na série B

Ambos estão disputando a Série B do brasileiro. Léo Condé é “mais caseiro” porque conhece bem de perto o futebol mineiro. Nesta temporada, ele fez a melhor campanha no Campeonato Mineiro, só perdendo o último e decisivo jogo para o Atlético Mineiro, por 2 a 1. Além disso, ele conhece de perto as estruturas dos grandes mineiros, tanto Cruzeiro como Atlético e até mesmo o América Mineiro.

Mas ele está bem no Sampaio Corrêa,quinto colocado, com 35 pontos, e com chances de brigar pelo acesso à elite nacional. Em São Luís ele confirmou, agora à noite, que não foi consultado, “mas claro que será uma chance de ouro”.

Dado Cavalcanti, que também faz brilhante campanha no Paysandu, atual vice-líder da Série B, com 36 pontos, não soube de nada, mas garantiu “que estou me preparando para a hora que me derem uma chance num grande clube não desperdiçar”.

ADEUS LUXA
A diretoria da Raposa, por enquanto, atendeu o apelo da torcida também que não estava feliz com o "professor". Nos dois últimos jogos no Mineirão - derrotas para Palmeiras e Santos -, a torcida, inclusive, entoou cânticos como "Adeus, Luxa", pedindo a saída do treinador, que agora se concretizou.

O desempenho do técnico nesta segunda passagem pelo time foi péssima. Foram 19 jogos na temporada, com dez derrotas, três empates e seis vitórias. A equipe marcou 16 gols e levou 21 gols. Na primeira oportunidade em que comandou a Raposa, em 2002/2004, os números foram bem diferentes. Luxemburgo teve um aproveitamento de 70,4%, com 107 jogos, 68 vitórias, 22 empates e 17 derrotas. Quem te vi e quem te vê.