Grupo vai à Justiça e pede afastamento de presidente de time do Paulistão

Segundo o grupo, o dirigente desrespeitou o estatuto do clube por conta de empréstimos contraídos em 2019

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 29 (AFI) - Além dos problemas financeiros, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, precisa lidar com outro impasse fora de campo. Isso porque o grupo de oposição "Frente Liberdade Corinthiana" entrou na Justiça para afastar o atual dirigente.

“Como anunciado, hoje temos importante notícia para quem ama o Corinthians. A Frente Liberdade Corinthiana acabou de protocolar no Fórum do Tatuapé ação pedindo o imediato afastamento de Andrés Sanchez do cargo de presidente do Corinthians”, publicou o grupo em sua rede social.

Foto: Rodrigo Gazzanel / Corinthians
Foto: Rodrigo Gazzanel / Corinthians
EMPRÉSTIMOS DE ALTO VALOR

Segundo o grupo, Andrés desrespeitou o estatuto do clube por conta de um empréstimo.

Em 2019, o clube contraiu empréstimos em dois bancos somando R$ 70 milhões.

O estatuto, porém, afirma que empréstimos acima de dez mil salários mínimos (atuais R$ 10,4 milhões) precisam de autorização do Conselho de Orientação, algo que não aconteceu, segundo a Frente.

SITUAÇÃO

Edna Murad Hadlik, primeira vice-presidente do clube, assume caso Andrés seja realmente impugnado. Ele tem mandato até o fim de 2020. Andrés não pode concorrer nas eleições de novembro e não divulgou apoio a nenhum grupo até o momento.