Bailarino: Servílio marcava seu primeiro gol pelo Corinthians há 82 anos

Atacante defendeu o Alvinegro ao longo de 11 temporadas e tornou-se o sexto maior artilheiro da história do clube

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 19 (AFI) - Há 82 anos, Servílio marcava o seu primeiro gol com a camisa do Corinthians. “Descoberto” na Bahia, o ‘Bailarino’ anotou o tento que decretou o triunfo por 3 a 2, em amistoso diante do rival São Paulo, no antigo Palestra Itália. Ao longo de 11 temporadas, o ídolo corintiano marcou o seu nome na história do clube com títulos e momentos expressivos.

SUCESSO
Campeão estadual em 1937 pelo Galícia-BA, Servílio foi “descoberto” pelo Corinthians após o clube paulistano realizar uma excursão pelo estado baiano no início de 1938. No mesmo, ano o jogador desembarcou em São Paulo para defender o clube. Era o início de uma longa identificação.

Logo em seu primeiro ano pelo clube, sentiu o gosto de ser campeão paulista. Na temporada seguinte, repetiu o feito e ajudou na conquista do bicampeonato. Servílio ainda seria campeão estadual em 1941. Mas muito além dos títulos, a sua trajetória no Corinthians é marcada por identificação. Entre 1938 e 1949, foram 364 jogos, anotando 200 gols, ocupando o posto de sexto maior artilheiro da história do clube. Pela beleza plástica da maneira de atuar, Servílio recebeu o apelido de Bailarino.

Servílio marcava seu primeiro gol pelo Corinthians há 82 anos
Servílio marcava seu primeiro gol pelo Corinthians há 82 anos
Pelo clube alvinegro, o Bailarino foi três vezes artilheiro consecutivo do Campeonato Paulista -1945, ao lado de e Passarinho (São Paulo Railway) com 17 gols, em 1946 com 19 tentos e em 1947 com outros 19. Após a saída de Teleco, outro ídolo alvinegro, passou a atuar como centroavante, posição que o ajudou a alcançar tais números.

Servílio ainda acumulou a função de técnico ao lado de Hélio Ferreira Leite, volante, e Cláudio, maior artilheiro da história do Corinthians, por três jogos, no período da saída de Gentil Cardoso e a chegada de Jorge de Lima, o Joreca.

PRIMEIRO 9
Um dos momentos mais marcantes de Servílio no Corinthians foi o de se tornar o primeiro “9” da história do clube. Em um amistoso contra o River Plate-ARG, no Pacaembu, no dia 22 de dezembro de 1946, o jogador vestiu a camisa com tal numeração. Até aquele momento não existiam números nas camisas de futebol. Somente a partir de 1948, passou a ser obrigatória a presença da identificação nos uniformes e a Copa de 1950, no Brasil, foi o primeiro mundial com tal característica.

PRIMEIRO GOL
A primeira vez que Servílio foi às redes com a camisa do Corinthians aconteceu no dia 19 de maio de 1938, em um amistoso diante do São Paulo, no estádio Palestra Itália. Na oportunidade, o jogo estava empatado por 2 a 2, e o recém-contratado marcou o terceiro tento alvinegro, decretando a vitória corintiana por 3 a 2. Teleco e Sabratti também marcaram para o Corinthians, enquanto Carioca e Pixe anotaram pelo Tricolor.

Depois da histórica passagem pelo Corinthians, Servílio encerrou a sua carreira no CA Ypiranga. O futebol se despediu do ídolo corintiano no dia 10 de abril de 1984, em São Paulo. O Bailarino é pai de Servílio, que atuou por diversos clubes paulistas como Portuguesa, Corinthians, Nacional, Paulista e Palmeiras, clube onde conquistou o bicampeonato brasileiro em 1967, o bicampeonato paulista em 1963 e 1966, além do Torneio Rio-São Paulo, em 1965.

FICHA TÉCNICA
Corinthians 3 x 2 São Paulo – Amistoso
Local:
Palestra Itália, em São Paulo;
Data: 19 de maio de 1938;
Árbitro: Jorge Miguel (SP);
Gols: Teleco, Sabratti e Servílio (SCCP); Carioca e Pixe (SPFC).

Corinthians
Faustino;
Saraiva e Carlos;
Jango, Tião e Paulo;
Sabratti, Servílio, Teleco, Carlinhos e Wilson.
Técnico: Antônio Pereira (Neco).

São Paulo
Irio;
Aníbal e Horácio;
Cozinheiro, Damasco (Sidney) e Felipelli;
Breno, Pixe, Elyseo (Otávio), Carioca e Dentinho.
Técnico: Tito Rodrigues.