Futebol se despedia de jogador marcante do Corinthians há duas décadas

Domingos da Guia conquistou inúmeros títulos por clubes do Brasil, Uruguai e Argentina

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 18 (AFI) - Há exatos duas décadas, o futebol sul-americano se despedia de um de seus maiores nomes: Domingos da Guia.

Multicampeão por diversos clubes da América do Sul, o ex-jogador marcou seu nome na história do futebol paulista com a camisa do Corinthians, clube que defendeu de 1944 a 1948.

Natural do Rio de Janeiro, Domingos da Guia iniciou a sua carreira no Bangu, clube que defendeu de 1929 a 1932 e que teve o seu nome gravado no hino do clube carioca.

“O Bangu tem também a sua história, a sua glória. Enchendo seus fãs de alegria! De lá, pra cá, Surgiu Domingos da Guia”.OUTRAS PASSAGENS

Após se destacar no alvirrubro de Moça Bonita, acertou sua transferência para o Vasco, onde permaneceu por ano. Na temporada seguinte, se aventurou no futebol uruguaio para defender as cores do Nacional, em 1933.

Pelo tricolor de Montevidéu, conquistou o título nacional. Em seguida, retornou ao Vasco e foi campeão carioca em 1934.

Um ano depois, voltou a atuar no futebol internacional, mas desta vez em solo argentino. Com a camisa do Boca Juniors obteve êxito em terra hermana com o título do Campeonato Argentino. Após ser campeão argentino, retornou ao seu país natal para representar o Flamengo.

PASSAGEM PELO CORINTHIANS
Atuou com a camisa rubro-negra de 1936 a 1943. Neste período, foi tricampeão carioca -1939, 1942 e 1943. Após sucesso no Rio de Janeiro, Domingos da Guia chegou ao Corinthians aos 32 anos.

Domingos da Guia defendeu o Corinthians (Foto: Reprodução/Corinthians)
Domingos da Guia defendeu o Corinthians (Foto: Reprodução/Corinthians)

Apesar de veterano e de não conquistar títulos de grande expressão, deixou o seu nome guardado na história do clube. Por conta da sua técnica apurada, Domingos da Guia recebeu o apelido de “Divino Mestre” ao longo dos 117 jogos pelo Alvinegro.

FIM DE CARREIRA E MORTE
Domingos da Guia voltaria ao clube que o revelou em 1948 para encerrar a sua trajetória nos gramados. O ex-jogador faleceu no dia 18 de maio de 2000, aos 87 anos, após ser vítima de um derrame.

PAI DO "DIVINO"

Ídolo do Corinthians, Domingos da Guia é pai de Ademir da Guia, um dos principais jogadores da história do Palmeiras.

Ao todo, o ‘Divino’ coleciona 902 partidas pelo time de Palestra Itália, sendo até hoje o jogador com o maior número de jogos pelo clube.