Corinthians ameaça não entrar em campo em jogos à noite e aos domingos

Atitude de Andrés Sanchez tem um motivo: as diversas ações de jogadores contra o Corinthians

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 11 (AFI) - Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, é conhecido por sua verborragia. O mandatário, que já "garantiu" diversas vezes a venda do "Naming Rights" da Arena, que já brigou com dirigentes rivais e do próprio clube, agora, afirmou que o Corinthians não jogará mais à noite e nem aos domingos.

"Na hipótese de serem agendadas partidas à noite ou aos domingos, o Sport Club Corinthians Paulista se reserva no direito de eventualmente não participar dos referidos jogos", diz a nota oficial enviado pelo clube à Federação Paulista de Futebol (FPF), à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e à Globo, segundo revelou o jornalista Jorge Nicola.

A atitude de Andrés Sanchez tem um motivo: as diversas ações de jogadores contra o Corinthians em relação ao adicional noturno, domingo e feriados.

Ameaça de Andrés e Corinthians. (Foto: Divulgação)
Ameaça de Andrés e Corinthians. (Foto: Divulgação)

ADICIONAL!
"Inúmeras são as decisões judiciais, confirmadas inclusive pelas instâncias superiores, condenando as entidades de prática desportivas empregadoras a pagar aos atletas profissionais de futebol adicionais por partidas realizadas à noite, assim como por suposta violação ao direito de repouso semanal remunerado, especialmente quando há jogos realizados aos sábados/domingos, seguidos por jogos no meio da semana e novamente no sábado/domingo seguinte", continua a nota do clube.

FPF, CBF e Globo ainda não se manifestaram. O futebol brasileiro está parado por conta da pandemia do novo coronavírus. O Paulistão foi paralisado em meados de março e o Corinthians entrou de férias em abril.

A decisão foi motivada após dois processos de jogadores contra clubes. Um foi do ex-zagueiro Paulo André movido contra o próprio Corinthians. O outro, pelo volante Maicon contra o São Paulo. Ambos exigiram o pagamento de remunerações adicionais por terem atuado à noite, em domingos e feriados.

MOTIVAÇÕES
Paulo André ganhou R$ 1,2 milhão e fez acordo para receber em parcelas de R$ 750 mil. Recentemente, o ex-jogador explicou pelo Facebook a ação que moveu contra o clube e como foi feito o acordo.

"Pedi ao Andrés para me pagar os valores que ele e o Corinthians realmente achavam que me eram devidos. Ele me olhou surpreso. Ligou para o seu jurídico, levantou os documentos da época, fez as contas e me chamou alguns dias depois para selarmos o acordo. Espero esse capítulo marque de uma vez por todas o fim dessa polêmica", concluiu.

Maicon, hoje no Grêmio, ganhou em primeira instância o valor de R$ 200 mil. O processo continua aberto e os valores podem chegar até R$ 700 mil por causa de juros e correção. Criticado por torcedores no Instagram, o jogador pediu "menos mimimi". "Se a gente ajuda, não faz mais do que a obrigação, se cobramos nossos direitos somos mercenários", escreveu