Manoel brinca e diz que fugiu de bater pênalti pelo Corinthians: 'Faltava o Ralf'

Apenas Manoel, Ralf e Cássio não precisaram bater pênaltis na disputa contra o Santos

por Agência Estado

São Paulo, SP, 09 (AFI) - Somente três jogadores do Corinthians não tiveram de bater pênalti na decisão contra o Santos no estádio do Pacaembu, pelas semifinais do Campeonato Paulista: Cássio, Manoel e Ralf. Em conversa com os jornalistas após a disputa, o zagueiro admitiu que estava ansioso para que terminasse logo e brincou ao comentar o assunto.

"Estava chegando a minha vez. Faltava só eu e o Ralf. Bati uma vez, não tive uma experiência muito boa, foi contra o São Paulo na Libertadores", disse. "Estava falando com o Ralf. O Ralf estava batendo melhor no treino, ele que ia bater", comentou em meio à risada.

Pelo Cruzeiro, Manoel errou uma penalidade na disputa contra o São Paulo pela Copa Libertadores de 2015. Ele chutou mal e o goleiro Rogério Ceni fez a defesa. Como sabia que Cássio seria o último, estava tentando passar para Ralf a responsabilidade de ser o antepenúltimo.

O Corinthians avançou para a final do Paulistão depois de perder o jogo por 1 a 0 no tempo regulamentar. Na decisão por pênaltis, apenas o atacante argentino Mauro Boselli, o primeiro a bater pelo time da capital, errou - Vanderlei fez a defesa. Pelo Santos, Kaio Jorge e Victor Ferraz acertaram a trave.

A partida teve Cássio como destaque nos 90 minutos. O goleiro corintiano fez importantes defesas e só foi superado aos 40 minutos do segundo tempo em um cabeceio de Gustavo Henrique. Foi a terceira vez na temporada que o Corinthians avançou nos pênaltis. Antes, a equipe eliminou o Racing na primeira fase da Copa Sul-Americana e, depois, despachou a Ferroviária nas quartas de final do Paulistão.