Jair Ventura deve improvisar Gabriel na lateral-direita do Corinthians

Duas vezes, o treinador foi indagado em sua entrevista coletiva a respeito de reforços

por Agência Estado

São Paulo, SP, 10 - Como se não bastassem os resultados negativos do Corinthians nas últimas partidas, incluindo a derrota de domingo para o Palmeiras, pelo Campeonato Brasileiro, o recém-chegado Jair Ventura ainda terá problemas para escalar o time que visita o Flamengo nesta quarta-feira, no Maracanã, pelo jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil.

Aos 14 minutos do segundo tempo do dérbi, o treinador precisou trocar o lateral Mantuan, que acusou dores musculares, pelo volante Gabriel, improvisação que tende a ser repetida no Rio caso o jogador não se recupere. Vale lembrar que Mantuan só está jogando porque o titular da posição, Fagner, também se encontra afastado por lesão.

"O Gabriel jogou comigo no Botafogo, hoje (domingo) jogou na lateral, a gente conhece e sabe que ele pode jogar ali, mas era uma necessidade", afirmou o técnico alvinegro, depois do clássico.

Contra o Flamengo, ele já não poderá escalar o atacante Roger, pois o atleta defendeu o Internacional na Copa do Brasil. Provavelmente, vai repetir o que Osmar Loss tanto fez durante sua passagem pelo cargo e colocar o paraguaio Romero para atuar como homem de referência no ataque. Questionado se existia essa possibilidade, foi taxativo: "Lógico que tem chance dele jogar lá, sim. Principalmente sem o Roger e o Jonathas, que estava parado, pode acontecer".

Jair Ventura deve improvisar Gabriel na lateral-direita do Corinthians
Jair Ventura deve improvisar Gabriel na lateral-direita do Corinthians
REFORÇOS

Duas vezes, Jair Ventura foi indagado em sua entrevista coletiva a respeito de reforços. Em ambas, fez questão de valorizar as peças da casa. "Já teve troca de treinador, os jogadores que saíram não vão voltar. Somos nós os responsáveis por reverter essa situação", disse, ao comentar a sequência ruim de resultados: duas derrotas e um empate nas últimas três partidas.

Em outro momento, perguntaram se ele havia indicado atletas com quem trabalhou no Santos este ano. Jair negou. "A gente nem falou em reforços, não teve tempo. Antes de pedir reforços, eu olho pra dentro, pra base. E dentro de uma carência, a gente começa a olhar pra fora", respondeu.

 
 
" />