Paulistão: Balbuena defende Romero em acusações de xenofobia

Na última terça, o atacante se defendeu após as críticas sofridas por chamar o Santos de "pequeno"

por Agência Estado

São Paulo, SP, 07 - O paraguaio Balbuena usou o seu perfil oficial no Instagram nesta quarta-feira para defender Romero, seu companheiro de equipe no Corinthians, um dia após o atacante falar sobre o preconceito que acredita sofrer no Brasil por ser paraguaio.

Usando um programa esportivo da Rádio Energia 97FM como referência, Balbuena escreveu uma mensagem afirmando que fica "chateado" quando ouve ofensas sobre o seu país.

"Eu fico muito chateado e me solidarizo com meu compatriota Romero quando dizem a respeito de nosso país dessa forma como mostra no vídeo. Venho falar que esse tipo de opinião não contribui em nada, pelo contrário, infla todo um desrespeito principalmente com nossa família, nosso país e nosso trabalho", escreveu.

 O paraguaio Balbuena usou o seu perfil oficial no Instagram nesta quarta-feira para defender Romero
O paraguaio Balbuena usou o seu perfil oficial no Instagram nesta quarta-feira para defender Romero
COMPLICADO
No programa citado, um dos apresentadores chegou a afirmar que Romero não sabe o que é grandeza porque saiu de um País que "mais parece uma aldeia indígena".

"Eles movimentam a economia através de tráfico de drogas, de contrabando de arma, produtos ilegais. Aí, você vai lembrar da seleção paraguaia. O que ela fez para o futebol mundial?", questionou.

"Essas atitudes demonstram a ignorância e a falta de educação que afeta nosso mundo atual. Apenas queremos tratamento igual por parte daqueles (alguns poucos) que nos criticam, sem piadinhas e sem preconceitos, afinal, queremos fazer o bem e um bom trabalho", completou Balbuena.

Na última terça, Romero se defendeu após as críticas sofridas por chamar o Santos de "pequeno" e criticou o tratamento dado a estrangeiros no País. "Eu estou há quatro anos no Brasil e, nas vezes que vocês me criticam dentro de campo, aceito, eu gosto das críticas para obviamente melhorar. Mas quando vocês falam da minha nacionalidade, do meu país, de onde eu nasci e da onde minha família é, aí eu não vou permitir. É extracampo", disse.

 
 
" />